Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

70 anos da Escola Antônio Santiago

Imponente obra foi construída por funcionários da prefeitura em apenas 4 meses e meio

Wanderley Peres

Enquanto a prefeitura anuncia obra de reforma em escola que vai custar R$ 1 milhão e meio e durar quase um ano, se não for aditivado o prazo e o valor, neste domingo, 1 de maio, Teresópolis comemora a abertura de uma das mais importantes escolas da rede municipal, a Escola Antônio Santiago, no bairro de Agriões, inaugurada pela prefeitura exatamente 70 anos atrás. Prédio com pé direito alto e com “todos os modernos requisitos de conforto e higiene”, como se dizia antigamente.

Classificada pelos pais de alunos entre as três melhores da rede municipal, a EM Antônio Santiago foi inaugurada em 1 de maio de 1952, dentro do programa de comemorações da data de homenagem ao dia do Trabalho, discursando os vereadores Armando Lauria, Daniel Simões, José Viana da Silveira, Alfredo Ferreira e Acácio Varejão e o deputado estadual Omar Magalhães, falando ainda a professora Rosely e o professor João de Camargo. Antes do discurso do prefeito Roger Malhardes, agradeceu o filho do homenageado, Manoel Luiz Santiago, emocionado pela perpetuação da memória do saudoso pai, falecido um ano antes e que passaria a denominar também a rua da escola, até então chamada Capeberibe. Segundo o jornal Gazeta de Teresópolis a solenidade foi sem demora, porque depois de inaugurar a modelar escola de Agriões, o prefeito e comitiva inauguraram outras duas escolas recém-construídas também pela prefeitura, na Barra do Imbuí e em Vargem Grande.

Passados quase três quartos de século da sua construção, a memória municipal não teria registro do feito do prefeito Malhardes não fosse o historiador Osiris Rahal, que guardou imagens da construção do imponente prédio, anunciado pelo prefeito em visita ao terreno em meio à mata de Agriões no dia 13 de dezembro do ano anterior, 1951. Guardadas em fundo do Pró-Memória Teresópolis, as 17 fotografias em tamanho 18×24, estão bem conservadas e vêm datadas como tendo sido feitas em 13-12-1951 (4 imagens), 04-01-1952 (3), 10-02-1952 (2), 23-01-1952 (2), 30-03-1952 (2), 20-04-1952 (1), 25-04-1952 (2) e 01-05-1952 (1).

Passando os olhos pelas imagens, se percebe a evolução da rápida construção do prédio, especialmente por conta das dificuldades tecnológicas e da falta de dinheiro da época. Feita com recursos da prefeitura, a obra demorou apenas 4 meses e meio, e foi feita enquanto a administração municipal estava construindo outras duas escolas, na Barra do Imbuí e em Vargem Grande, inauguradas no mesmo dia, e que também completam 70 anos neste domingo.

QUEM FOI ANTONIO SANTIAGO

Nome de rua em Agriões, Antônio Santiago veio para Teresópolis em 1910, coletor federal transferido de sua cidade natal, São Fidelis, no Norte Fluminense, onde nasceu em 1873, e casou-se, em 1899, com Ignácia dos Santos Santiago, pais de Maria da Glória e de Manoel Luis Santiago.

Coronel da Guarda Nacional, combativo jornalista do Correio Popular, jornal que circulou em Teresópolis no final dos anos 1910, Antônio Santiago participou ativamente da política municipal. No ano seguinte a sua morte, ocorrida em 31 de janeiro de 1951, a municipalidade deu seu nome ao grupo escolar de Agriões, seguido de homenagem com o nome da rua em frente.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Edição 17/05/2022
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Notícias falsas nas eleições de 2020 preocupam especialistas

Policial de férias prende acusado de tráfico na entrada da cidade

Magalu vai abrir loja em Teresópolis e inicia processo de contratação

Câmara aprova representação contra o prefeito de Teresópolis

Cedae vai paralisar o sistema principal nesta terça-feira em Teresópolis