Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Assessora demitida vai à Justiça por reparação de danos morais

Cargo no gabinete de Amós Laurindo, mulher reclama uso indevido de imagem e pelas ofensas sofridas pelo vereador

Wanderley Peres

Exonerada da Câmara Municipal, uma jovem que mantinha relacionamento afetivo e profissional com o vereador Amós Laurindo, laborando em seu gabinete, ingressou na justiça buscando reparação por dano moral sofrido. Os motivos da ação, segundo a petição da autora na Segunda Vara Cível da Comarca, foi a violação do seu direito à privacidade e intimidade, maculando sua honra e imagem, por conta da divulgação de suas imagens durante um lanche no supermercado Green Fruit, “em nítida inobservância da real destinação do circuito interno que é proteger os clientes e até mesmo seus funcionários de eventuais ilícitos praticados”.

Além do pedido de condenação dos réus pelos ilícitos passíveis de reparação, na forma do art. 186 c/c art. 927 do Código Civil, a autora a indenização a título de danos morais no valor de R$ 60 mil, em razão do vazamento de dados e desvio de finalidade do circuito interno de segurança do estabelecimento, e em razão das ofensas enviadas pelo whatsapp.

“Independente da relação afetiva existente entre a autora e o primeiro réu, no dia 14/11/2023 a demandante dirigiu-se ao estabelecimento da segunda ré localizado na Avenida Feliciano Sodré, n° 445, Várzea, Teresópolis/RJ, lanchonete, ocasião em que foi tomar um café com um de seus companheiros de trabalho. Apesar do café ter ‘ocorrido’ em clima amistoso e sem nenhum desdobramento afetivo, o primeiro réu teve acesso a imagens da mesma retirada pelas câmeras de segurança do estabelecimento, razão pela qual evidente que utilizou de sua influência política para ‘seguir a autora’, por sua vez a segunda ré, através de algum preposto, violou a Lei Geral de Proteção de Dados ao expor e compartilhar imagens do circuito interno de segurança indevidamente com o referido edil, o que além de prejudicar o relacionamento, prejudicou também o trabalho da autora”.

Prints de mensagens de whatsapp, trocadas entre o vereador e a assessora, com ofensas e xingamentos, sugerem que ele teria utilizado indevidamente de sua posição social. “Não é tolerável tal tipo de tratamento entre pessoas que se relacionam afetivamente e profissionalmente, inegável que tal tratamento além de danos psicológicos, geram profundo sentimento de frustração e humilhação, o que certamente é objeto de dano extrapatrimonial/moral”, afirmam os patronos da ação.

O Green Fruit publicou Nota, manifestando repúdio a qualquer ato contra o direito de liberdade da mulher, reiterando o compromisso social com o respeito e garantia dos direitos fundamentais e reafirmando que sempre manteve o compromisso com a proteção da intimidade de todos os seus clientes e colaboradores. “Ocorre que a empresa não tinha conhecimento do referido processo, e nem foi ainda citada no processo”, afirmou, informando que estão sendo tomadas as medidas judiciais cabíveis para a apuração e responsabilização civil e criminal de todos os envolvidos, caso tenha ocorrido o vazamento das imagens, inclusive em face de quem teria sido beneficiado por elas.

Dada a oportunidade a Amós Laurindo de se manifestar sobre o ocorrido, o vereador não retornou a mensagem à redação.

Voto de repúdio ao apresentador Sérgio Mauro

Aprovado na Câmara Municipal, na noite desta quinta-feira, 25, voto de repúdio ao apresentador de tevê Sérgio Mauro, da Terê TV. Em conhecido quadro do seu programa, fazendo graça sobre a falta de água no município, em referência ao governo municipal, Serginho teria citado a Primeira Dama, de nome Paula Schute, jocosidade que foi reclamada, publicamente, na sessão, por partidos políticos, vereadores desafetos do apresentador e instituições de defesa da Mulher, e ainda pelo marido, o prefeito Vinícius e sua secretária da Mulher, Iracema Toledo, que também requereram o devido repúdio aos vereadores, merecendo o caso vasta solidariedade do poder Legislativo na sessão transmitida ao vivo pela Diário TV.

São injustificáveis as ofensas feitas às mulheres, e o ocorrido envolvendo a Primeira Dama do Município teve no poder Legislativo Municipal a devida reprimenda, gravando nos anais da história o repúdio da sociedade. Como bem disse o vereador Paulinho Nogueira, “uma ofensa às mulheres é uma ofensa à família, nosso bem mais sagrado”, observando ainda o vereador líder do governo que, “às vezes, uma fala diferente ofende uma nação inteira, por isso precisamos ter essa consciência e tomar a providência do repúdio”. Autor do voto que teve a aquiescência de todos os seus pares, o vereador Amós Laurindo observou que a infeliz fala foi um ato de ódio, inadmissível e covarde. “O apresentador de tevê é muito corajoso atrás de uma câmera, desrespeitando a esposa de uma autoridade, a autoridade maior da cidade. Não podemos admitir a falta de respeito com uma mulher, que representa, também, as mulheres da nossa cidade”, disse.

Edição 25/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Mudanças na temperatura podem provocar gripes e resfriados

Grandes apreensões de drogas na Barra e Vale da Revolta

Lojistas do Regadas notificados para confirmação de festa

Cultura de Raiz tem edição especial neste domingo para comemorar as festas juninas

Polícia Militar reforça patrulhamento ostensivo em Teresópolis

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE