Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Atendimento restrito para pacientes na Upa

Profissionais estão com salários atrasados ? Médicos tiveram pagamento reduzido em até 45%

A única porta de acesso SUS em Teresópolis volta a ser motivo de preocupação para a população que carece de atendimento médico. O cancelamento da licitação para contratação de uma nova empresa para gerir o serviço de Saúde fez com que a Prefeitura assumisse a gestão da unidade. Com isso, não demorou para que funcionários voltassem a conviver com o velho e conhecido atraso no pagamento de salários. No caso dos médicos, a redução seria de até 45% no valor dos vencimentos, fazendo com que muitos profissionais parassem de trabalhar. Hoje o atendimento na unidade está restrito aos caos de urgência e de emergência, os chamados pacientes vermelhos e amarelos. O atendimento limitado não atinge pacientes pediátricos, que não podem ser prejudicados por exigência da Justiça. Relatos nas redes sociais dão conta de períodos de até 12 horas de espera para o atendimento.
Na noite da última segunda-feira, 26, pacientes encaminharam à página do repórter Paulo Vicente no Facebook imagens da recepção da Unidade superlotada. Pessoas reclamavam principalmente da demora no atendimento, embora surgissem também queixas sobre falta de medicamentos e insumos básicos. Há quem garanta que falta até papel higiênico nos banheiros. 
Nesta terça-feira, 27, o DIÁRIO visitou a unidade. Dois funcionários da equipe administrativa confirmaram a restrição no atendimento. Os casos emergenciais, classificados como ‘amarelos e vermelhos’ estariam sendo atendidos normalmente. Essa situação abrange os traumas, picos de glicose, hipertensão severa, reações alérgicas e também casos de conjuntivite, visto que houve um considerável aumento nesse tipo de moléstia que é considerada muito contagiosa. Também não há mudanças nos atendimentos envolvendo crianças e idosos. Casos de menor gravidade ou considerados ambulatoriais estão sendo descartados e os pacientes orientados a ir para casa. Há quem procure outras unidades, como o Posto Eithel Abdalah, no Tiro de Guerra. Porém, casos que necessitam de exames acabam tendo que voltar para a Upa.

O Diário denunciou
A denúncia de irregularidades na contratação da nova OS para administrar a Upa foi apresentada pelo Diário na edição do dia 3 de março de 2018, quando a reportagem chamou atenção para o conteúdo publicado no Diário Oficial eletrônico do município no dia anterior. Tratava-se de uma contratação por dispensa de licitação do Instituto Multi Gestão, no valor de R$ 18 milhões, com vistas a gestão de pessoal das unidades prestadoras de serviço de saúde, como Upa e Unidades Básicas (UBS). Além disso a publicação apresentava justificativa para dispensa de chamamento público copiada do município de Laranja da Terra (ES).  A irregularidade estaria baseada no fato de que a dispensa prevista tanto no art. 17 quanto no art. 24 da Lei 8.666/93, deveria ser tida como exceção para casos imprescindíveis, sendo necessária estrita observância aos casos nomeados pela norma, sendo ainda determinação expressa que quando houver dúvida a respeito de exigência ou não da licitação, deve-se realizar o certame.
A denúncia repercutiu na Câmara de Vereadores, de onde partiu pedido de revogação, que por sua vez teria provocado o cancelamento da contratação. O Diário oficial da quarta-feira, 7 de março, do Diário Oficial da prefeitura trouxe o edital de nulidade assinado pela secretária de Administração Aline Nascimento, através de parecer da controladoria da Prefeitura, esse assinado pelo advogado Nilton Canto. 

 

Tags

Compartilhe:

Edição 25/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Mudanças na temperatura podem provocar gripes e resfriados

Grandes apreensões de drogas na Barra e Vale da Revolta

Lojistas do Regadas notificados para confirmação de festa

Cultura de Raiz tem edição especial neste domingo para comemorar as festas juninas

Polícia Militar reforça patrulhamento ostensivo em Teresópolis

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE