Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Câmara ainda não sabe se suplentes serão empossados

Segunda sessão ordinária após prisão de seis vereadores durou apenas cinco minutos

Marcello Medeiros

A segunda sessão ordinária da Câmara Municipal após a prisão de seis vereadores em operação do Ministério Público do Rio de Janeiro, Delegacia Fazendária a Polícia Civil, durou apenas cinco minutos. Sem correspondências a serem lidas e novamente sem quórum suficiente para realização de qualquer procedimento legislativo, os trabalhos foram encerrados logo após a leitura de três indicações de obras públicas a serem realizadas pelo município. Além do clima ruim por conta da situação envolvendo os edis Leonardo Vasconcellos, Dedê da Barra, Pastor Luciano, Cláudia Lauand, Rock e Ronny, ainda presos em unidades da SEAP – Secretaria Estadual de Administração Penitenciária, em Benfica, no Rio de Janeiro, nesta terça-feira ainda era dúvida a convocação dos suplentes para substitui-los e assim garantir a necessária produção da Casa Legislativa. De acordo com o setor de imprensa da Câmara, ainda não há resposta da Justiça em relação aos trâmites e até possível soltura dos suspeitos de associação criminosa para a prática dos crimes de concussão e peculato.
Segundo nota divulgada pelo presidente interino, Jaime Medeiros, mais conhecido como Tenente Jaime, “as sessões ordinárias transcorrerão dentro da normalidade, naquilo que lhe é assegurado por Lei. Quanto à eventual convocação de vereadores suplentes dos mesmos, informa por oportuno, que já formulou a devida consulta à Justiça, estando aguardando a sua manifestação a fim de adotar as medidas indicadas pela mesma”. 
Caso seja necessária a convocação dos suplentes, segundo o resultado do pleito de 2016, são eles: Substituindo os dois vereadores do PMDB presos, entrariam Hygor Faraco, que conquistou 1208 votos naquele ano e é hoje o candidato a vice prefeito na chapa encabeçada pelo médico Luiz Ribeiro, e o também médico e segundo suplente Dr. Amorim, que com seus 1050 conquistados deve voltar ao cargo que já conhece bem. Quanto ao vereador Rock, do PSDB, o substituto seria outro candidato a vice prefeito do também edil Da Ponte este ano, o empresário Alessandro Cahet, que com 1037 votos substitui o edil. Na suplência do Pastor Luciano do PRB, o candidato João Miguel, do PSDC que fez 967 votos em 2016. No lugar da vereadora Claudia Lauand, do PP, o candidato Mineirinho do Gás, segundo suplente do PP, já que Pedro Gil está no posto de prefeito interino, e em seu lugar assumiu o primeiro suplente do PP, Angelo Gallo, acançando o Mineirinho, que conquistou 783 votos em 2016. Por fim, Ronny Carreiro, do PHS, seria substituído pelo suplente da coligação, vindo do PMB, José Carlos Estufa, ex-vereador e que conquistou 1276 votos.

 

 

Tags

Compartilhe:

Edição 23/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Polícia procura corpo de Anic em sítio que Lourival pesquisou na internet

Saúde: mãe denuncia dificuldade para internação de criança em Teresópolis

“RJ para Todos” faz quase 400 atendimentos na Barra do Imbuí

Vasco da Gama enfrenta o Náutico em Teresópolis

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE