Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Centro de Inteligência em Saúde da SES-RJ completa seis meses

Infraestrutura tecnológica e investimento em RH já trazem avanços no monitoramento em vigilância epidemiológica e para a regulação estadual

Desde que foi inaugurado, em 14 julho de 2023, o Centro de Inteligência em Saúde (CIS) se tornou referência no uso da inteligência digital em todo o Brasil. Desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), com apoio da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o CIS completa seis meses contabilizando avanços como a ampliação do monitoramento epidemiológico no Rio de Janeiro e a agilização do processo de regulação de exames, consultas e procedimentos desde sua criação.

Em um mesmo ambiente, o CIS reúne o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) – que monitora as emergências de saúde pública, como epidemias, doenças emergentes e desastres -, os Sistemas de Informação em Vigilância – que reúnem o Sistema de Informação dos Nascidos Vivos, de Mortalidade e de Agravos de Notificação, além de detecção de rumores, em tempo real, facilitando a identificação de possíveis epidemias.

Também estão no mesmo espaço as equipes da Central Estadual de Regulação e de Transferência Inter-Hospitalar (TIH). O sistema inova ainda ao implantar equipes de navegadores que acompanham a regulação de consultas, exames e cirurgias, desde o momento em que o paciente entra na regulação até após a realização do procedimento.

A secretária de Estado de Saúde (SES-RJ) Claudia Mello afirma que os painéis de monitoramento do CIS-RJ permitiram melhor entendimento do comportamento das doenças de notificação compulsória, para que as ações nas unidades de saúde fossem tomadas de forma mais rápida e eficaz.

  • O CIS é uma grande ferramenta de gestão, que, em tempo real, nos apresenta indicadores de possíveis cenários de agravo. Isso permite maior capacidade resolutiva e mais eficiência. Nossa ideia, ao implantar o Centro de Inteligência em Saúde, foi também compartilhar com outros gestores todo o conhecimento adquirido – destaca Claudia Mello.

Sistema Estadual de Regulação

Em 2023, foram 360.733 agendamentos pelo Sistema Estadual de Regulação (SER), um significativo aumento ante as 253 mil regulações de 2022. O resultado é o maior desde o início da série histórica do SER, em 2010. Vários fatores contribuíram para o aumento da regulação e outros avanços a partir da implantação do CIS. A unificação dos setores num mesmo ambiente de trabalho e o aumento das equipes da Central Estadual de Regulação foi o passo inicial que, junto com iniciativas como as revisões das filas – que reduziram o absenteísmo (as faltas após os agendamentos) em 40% em 2023 – e a inauguração do Rio Imagem Baixada, contribuíram com o número recorde de regulações em 2023.

Em 18 de outubro do ano passado, a fila de braquiterapia – tratamento indicado principalmente para câncer de colo de útero – foi totalmente zerada. Atualmente, o tempo médio de espera é de 38 dias. Em novembro de 2022, o tempo médio para acesso à braquiterapia era de 124 dias.

Transporte Inter-Hospitalar

Também integrante do CIS, o Transporte Inter-Hospitalar (TIH) apresentou números expressivos em 2023. Foram 12 mil transferências de pacientes entre unidades de saúde. Tudo planejado e executado de forma segura e eficiente, para reduzir riscos e danos para o paciente transportado e a equipe assistencial.

Até julho de 2023, o TIH da rede estadual atendia uma média mensal de 600 solicitações, com uma frota de 10 ambulâncias distribuídas em 9 unidades de saúde da capital do Rio de Janeiro. Atualmente, a frota de ambulâncias conta com 42 veículos, em 38 unidades hospitalares e UPAs da capital, região metropolitana e interior do estado, alcançando a média de 3 mil transferências mensais.

Em 2023, foram acrescentadas à frota 20 ambulâncias avançadas, compostas por médico, enfermeiro e condutor socorrista. Além dessas, o serviço conta ainda com três ambulâncias dedicadas exclusivamente ao transporte inter-hospitalar de pacientes recém-nascidos (faixa etária de 0 a 28 dias) e pediátricos (29 dias até 12 anos) com gravidade, e uma para transporte de pacientes obesos.

Centro de Inteligência em Saúde é referência no país em gestão do SUS

Em novembro, o Centro de Inteligência em Saúde do Estado foi apresentado como referência para o Brasil no II Encontro da Rede Estadual do Centro de Inteligência Estratégica para a Gestão do SUS (Cieges), que aconteceu na sede da SES-RJ. Autoridades, pesquisadores e técnicos de 15 estados brasileiros debateram os avanços e desafios do uso da inteligência digital no SUS. O evento foi organizado pela Secretaria de Estado de Saúde, com apoio do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Naquele mesmo mês, a equipe de Vigilância Epidemiológica da SES-RJ conquistou o segundo lugar na categoria “Preparação, Vigilância e Resposta às Emergências em Saúde Pública” na 7ª Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (17ª Expoepi), em Brasília. Na exposição, a SES-RJ detalhou a atuação no combate à influenza aviária e como ocorreu a implementação do Centro de Inteligência em Saúde (CIS-RJ) como ferramenta digital de monitoramento da doença.

Tags

Compartilhe:

Edição 22/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Chuvas no estado do Rio provocam ao menos sete mortes

Justiça Federal determina retorno de Adélio Bispo a Minas Gerais

Ônibus: novas tarifas intermunicipais entram em vigor neste sábado

Sexta e sábado com feira de adoção de cães na Várzea

Asfalto ficou na promessa e Vale dos Cedrinhos segue quase intransitável

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE