Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

“Construção do viaduto precisa começar para ontem”

"O cenário é estarrecedor", assim definiu as intervenções que estão sendo promovidas no acesso ao condomínio de moradias populares da Ermitage o Deputado Federal Hugo Leal, que nesta quinta-feira, 27, fez uma visita para recolher subsídios para sua audiência com a ANTT, marcada para a próxima terça-feira em Brasília. Segundo o parlamentar, que ficou conhecido nacionalmente por sua relação com as questões relacionadas à segurança no trânsito, o que ele viu no local é assustador. ?Estou levando para Brasília a minha certeza de que se nada for feito com urgência neste local, teremos infelizmente seguidas tragédias. O fluxo de veículos, inclusive dos mais pesados e carregados de mercadorias é praticamente ininterrupto. Neste pouco tempo que estamos aqui nesta entrevista já registramos centenas destes caminhões e a falta de sinalização é igualmente preocupante, enfim, a construção de um viaduto aqui é absolutamente imprescindível?, enalteceu Hugo.

Anderson Duarte

“O cenário é estarrecedor”, assim definiu as intervenções que estão sendo promovidas no acesso ao condomínio de moradias populares da Ermitage o Deputado Federal Hugo Leal, que nesta quinta-feira, 27, fez uma visita para recolher subsídios para sua audiência com a ANTT, marcada para a próxima terça-feira em Brasília. Segundo o parlamentar, que ficou conhecido nacionalmente por sua relação com as questões relacionadas à segurança no trânsito, o que ele viu no local é assustador. “Estou levando para Brasília a minha certeza de que se nada for feito com urgência neste local, teremos infelizmente seguidas tragédias. O fluxo de veículos, inclusive dos mais pesados e carregados de mercadorias é praticamente ininterrupto. Neste pouco tempo que estamos aqui nesta entrevista já registramos centenas destes caminhões e a falta de sinalização é igualmente preocupante, enfim, a construção de um viaduto aqui é absolutamente imprescindível”, enalteceu Hugo.
Segundo o deputado as intervenções promovidas no local são importantes para evitarem tragédias maiores, mas não conseguem dar conta do intenso fluxo de veículos. Apenas no momento em que gravamos a entrevista com o parlamentar, ao menos dois carros de passeio erraram a entrada de retorno para a cidade e deram de frente com veículos no sentido contrário, já que não existem placas sinalizando tal conversão. Em mesmo sentido, os caminhões que chegam ao local de confluência dos veículos, em ambos os lados, tanto do sentido do Alto, quanto do inverso, apresentam velocidade incompatível com os redutores instalados mais a frente, assim como nos momentos de retenção, quando as longas filas chegam aos pontos de curva intensa, também possíveis causadores de impactos graves. Outro fator citado pelo deputado no momento da entrevista foi o registro de alguns flagrantes feitos de pedestres que não usam a passagem subterrânea. “Se está perigoso para os carros, imaginem para as pessoas que insistirem em atravessar por aqui?”, salientou o parlamentar.
Com uma audiência marcada para a próxima terça-feira, e com uma reunião recém realizada com a CRT, que é responsável pela rodovia por concessão, Hugo ratificou que a solução passa necessariamente pela construção imediata do viaduto e que isso não pode mais ficar no campo dos projetos. “Estou levando a ANTT o meu posicionamento de que não é mais plausível esperarmos por processos de liberação ou projetos executivos para a construção de tal acesso. A CRT já possui o projeto pronto, a ANTT já se disse disposta a resolver o problema com um entendimento feito com a própria concessionária, portanto não é mais razoável que esperemos que o governo do estado cumpra a sua parte e tente construir. Não há mais tempo para isso e nós precisamos correr para resolver isso rapidamente, fazendo com que o estado abra mão de construir e passe para a União, que vai poder articular tal ação com a CRT”, disse.
Hugo também se mostrou preocupado com a decisão de liberação do local, entrega de chaves e ocupação do condomínio. “Não podemos deixar de questionar o processo de entrega destas chaves. Como assim um funcionário de uma entidade ligada ao meio ambiente faz a entrega das chaves? Por que não foi a secretaria de habitação? Como o Governador do estado não participou do processo? Isso é muito sério! Essa correria nossa aqui para tentar resolver esse problema poderia ter sido evitada se tudo isso tivesse sido pensado antes dessa ação desastrosa. Entendemos que as pessoas precisam de suas residências, de sua segurança, mas o que foi feito aqui até esse momento não lhes dá segurança alguma, alívio com certeza, afinal estão em suas casas, mas segurança jamais. Tenho convicção que os responsáveis por esta irresponsabilidade devem ser punidos e vou lutar para que isso aconteça, assim como estamos fazendo esse trabalho de empenho pela construção do viaduto”, finalizou o deputado que ainda aproveitou para conversar com algumas pessoas no condomínio.

 

Tags

Compartilhe:

Edição 22/06/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Justiça manda Vinícius pagar o que deve à Viação e empresa não vai cobrar a passagem dos idosos

Festival Sesc de Inverno confirma 15 atrações musicais

Golpista usa nome da Naturgy para lucrar em Teresópolis

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

MPRJ lança canal específico para receber denúncias relacionadas às eleições municipais

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE