Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Defesa Civil volta a alertar comunidade sobre rua interditada

Poder público e moradores da Granja Florestal e Salaco buscam solução para o problema

Equipe da Defesa Civil Municipal esteve reunida com moradores dos bairros Granja Florestal e Salaco no último sábado (23). Agentes do órgão visitaram o bairro praticamente por uma semana após a interdição de trecho da Rua Alfredo Nemésio de Medeiros, ocorrida no dia 18. O objetivo foi alertar os moradores para os riscos das rachaduras que surgiram na via pública após as chuvas da semana anterior. O encontro com a comunidade aconteceu na Igreja Quadrangular.
A interdição foi motivada pelo alto volume de 110mm de acumulado de água no solo na última semana. O quantitativo quase alcançou o limite máximo de 115mm do protocolo de acionamento das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme. “Como já havia uma fratura no local, com abertura aproximada de 40cm, a Defesa Civil optou por interditar a via para a passagem de veículos. Queremos evitar o deslocamento total da rua, com risco de vitimar algum morador”, revelou o Coronel Albert de Andrade, Subsecretário Operacional de Defesa Civil. Também participaram do encontro o Diretor do Departamento Operacional da DC, Jacinto Nascimento, e o agente Alexandre Reis.
Entretanto, alguns moradores ignoram a interdição e insistem em trafegar pelo local. Durante a reunião, os técnicos da Defesa Civil responderam várias dúvidas sobre a questão. “Nós sentimos que a comunidade está preocupada e empenhada em, juntamente com a Prefeitura, chegar a uma medida no sentido de evitar a passagem de veículos no trecho. Estamos mediando uma intervenção o mais rápido possível, através da Secretaria Municipal de Obras, para solucionar a questão da Granja Florestal”, revelou o Coronel Albert.
O presidente da Associação de Moradores e Amigos da Granja Florestal, José Cirino dos Santos da Silva, reuniu os moradores. “A comunidade está ciente do perigo que a rua está passando. A gente formou uma comissão de moradores para, junto com a Defesa Civil, solucionar nossos problemas. Deixar os moradores mais cientes sobre o perigo valeu a pena”, comentou.
Moradora há 18 anos na Granja Florestal, Marilene Almeida Rabello marcou presença na reunião comunitária. “No início, a passagem foi aberta numa emergência, porque aqui tem muita gente acamada. Só que existem pessoas que não respeitam a interdição, estão passando de carro e nem querem saber se a rua vai cair ou não. Se isso acontecer, toda comunidade será prejudicada”, contou Marilene.
No final da reunião, o subsecretário e equipe percorreram o bairro em busca de um acesso alternativo, a ser aberto durante a realização das obras necessárias para recuperação da via. “Os moradores organizaram uma comissão para que a Defesa Civil busque uma solução, junto à Secretaria Municipal de Obras. O secretário da pasta já está ciente e vamos promover esse encontro em busca de solução definitiva para o caso”, pontuou o subsecretário de Defesa Civil. 

 

Tags

Compartilhe:

Edição 17/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Barra: 60 dias de trânsito lento na Rua Dr. Oliveira

Teresópolis recebeu etapa do Circuito Carioca Master de Vôlei de Praia

Quatro fontes com água imprópria para consumo em Teresópolis

Moradores da Rui Barbosa denunciam calçada em situação irregular

ChocoSerra começa nesta sexta-feira em Teresópolis, confira a programação

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE