Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Escritor de Teresópolis denuncia xenofobia na Colômbia

Tiago Dumard diz que “teve sua arte tratada como chacota” ao ingressar nesse país

Isla Gomes

A palavra xenofobia originou-se das palavras gregas “xénos” (estranho, estrangeiro) e “phóbos” (medo, aversão). Resumidamente, a xenofobia é uma forma de preconceito contra pessoas de outras origens nacionais e de outras culturas. Recentemente, um teresopolitano sentiu na pele o significado desta palavra. Tiago Dumard, que é ator, escritor e poeta, sempre teve o sonho de compartilhar seus livros infantis mundo a fora, representando Teresópolis através de sua arte. Após muitos sacrifícios e muita ajuda de amigos e patrocinadores, Tiago finalmente pôde dar inicio a essa realização, passando pelo Chile, Peru e se direcionando para Bogotá, na Colômbia, para participar da FILBO (Feira Internacional do Livro de Bogotá). Entretanto, na imigração da Colômbia o ator conta que foi separado de sua esposa, levado para uma sala e interrogado de forma agressiva. O escritor alega que ao descobrirem que ele era brasileiro, os funcionários do local pegaram seus livros e começaram a fazer chacota de sua arte, enquanto riam eles afirmavam “aqueles livrinhos não entrariam na Colômbia”, pois, o país deles “não era bagunça”.

Em entrevista ao Diário, o artista conta detalhes do que passou. “Meu sonho era participar da ‘Filbo’, que é uma feira internacional muito importante lá em Bogotá na Colômbia. Eu estou há 24 anos na luta e ir para Bogotá não foi um sonho fácil de tentar realizar, eu contei com muita ajuda de amigos fazendo ‘vaquinha’, patrocinadores, ou seja, tive muito auxilio para tentar levar a arte de Teresópolis para a minha primeira viagem internacional. Por ser minha primeira viagem internacional eu não tinha pleno conhecimento dos detalhes e regras, por isso, não estou aqui questionando as regras em si, mas sim a maneira desrespeitosa em que fui tratado, eu sofri xenofobia no aeroporto e acho que ninguém merece passar por isso”, conta Dumard.

Xenofobia
O artista destaca os momentos em que se sentiu constrangido e atacado, principalmente pelo fato de ser um escritor brasileiro. “Eu estive no Peru e no Chile com a minha identidade, não tive problema nenhum no embarque nestes locais. Mas, quando cheguei à Colômbia, estávamos eu e minha esposa na mesma fila e me enquadraram de forma arrogante e a partir daquele momento começou meu pesadelo. Eles me levaram de forma brusca para uma sala, me separaram da minha esposa, alegaram que se eu tentasse filmar eu iria ser preso, e ali eles me humilharam muito. Quando eles revistaram minha mala descobriram que eu era um escritor brasileiro, pois, acharam meus livros, e nessa hora eles riram por eu ser escritor. Em todo momento eles alegavam que meus ‘livrinhos’ não iriam entrar na Colômbia, pois, segundo eles o país deles não era lugar de bagunça. Eles ficavam pegando meus livros para rir e debochar, passando de um para o outro. Naqueles momentos eu senti como se eles estivessem desmerecendo minha arte. Em um dos momentos que para mim foi o pior, eles simplesmente rasgaram a minha identidade na minha frente, eu senti como se minha história estivesse sendo rasgada”, desabafa Dumard, que teve que retornar ao país com a alegação que sua identidade estaria inadequada ao acesso.

Arte que não se apaga
Depois de todo vendaval sofrido por Tiago, agora o artista está focado nos seus projetos ligados à literatura e ao teatro. O escritor não teve a chance de vender seus livros em Bogotá, então conta união de todos para ajuda-lo a disseminar sua arte. “O livro que eu traduzi em três línguas e estava levando para compartilhar na Filbo tem uma história muito especial. Não é um ‘livrinho qualquer’ como falaram os funcionários do aeroporto da Colômbia. Esse livro foi baseado na história de um grande atleta paraolímpico, o Fernando Fernandes. Quando eu trago esse livro, eu trago também a voz de muitos atletas paraolímpicos e pessoas PCD. Esse livro virou uma peça teatral que terá inicio no dia 29 de maio no SESI Itaperuna. Esse livro é um orgulho, nada que aconteceu irá apagar essa arte baseada em um tema tão importante”, conclui.

Como adquirir a arte do Tiago
Site: www.projetoculturalatitude.com.br
Instagram: @projetoculturalatitude
Facebook: Projeto Cultural Atitude

Edição 23/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Polícia procura corpo de Anic em sítio que Lourival pesquisou na internet

Saúde: mãe denuncia dificuldade para internação de criança em Teresópolis

“RJ para Todos” faz quase 400 atendimentos na Barra do Imbuí

Vasco da Gama enfrenta o Náutico em Teresópolis

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE