Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Fidel critica gestão da saúde e é chamado de mentiroso

Vereador comprova que falou a verdade e redes sociais relatam outros casos de falta de insumos na Upa

Wanderley Peres

Na sessão da Câmara Municipal de quinta-feira passada, 21, quando Vinícius se safou com a ausência forçada de dois vereadores, obtendo-se o resultado de 12 a 5, antes de iniciar a leitura do parecer da Comissão Processante que pedia a cassação do prefeito, o vereador-secretário Fidel Faria denunciou em plenário ter recebido um áudio de um parente que não havia conseguido ser atendido na Upa por falta de agulha para a injeção. “Essa agulha que está em falta é a de pequeno calibre, ou gelco ou scalpers, calibre 23, que são itens essenciais para a medicação em crianças ou pessoas idosas. Só tinha no estoque o calibre 18 ou 16, que rompe a veia do paciente mais frágil”, disse.

Quando chegou em Bonsucesso, depois da sessão, o vereador soube, por um amigo, da secretaria de saúde de Nova Iguaçu, que havia uma ambulância da secretaria de Teresópolis em sua cidade querendo agulha de pequeno calibre emprestada. “Voltei à cidade, e fui para a Upa, e vi quando a ambulância chegou, e dei o flagrante, conseguindo a prova de que faltava, realmente, esse item essencial na Upa. Foram à outra cidade buscar à agulha, e consegui a nota de empréstimo, do hospital geral de Nova Iguaçu, que deu a saída do material emprestado às 22h7min, três horas depois da minha denúncia. Ou seja, o material foi pego emprestado, porque estava faltando na Upa, e só lembraram que estava faltando depois que fiz a denúncia na sessão da Câmara”, disse a O DIÁRIO.

Embora seja da área da saúde, e conheça alguns procedimentos, o vereador buscou se informar, na própria Upa, sobre a necessidade do item, com quem faz o atendimento, e quem tem que negar esse atendimento quando não tem o item para a medicação.

“Fui ao hospital, e confirmei a informação, que é técnica, de que uma criança ou uma pessoa idosa não poderia estar recebendo tratamento com as agulhas que havia disponível na Upa. Esse é um equipamento de primeiro atendimento, e que o hospital ou posto não tem como atender o paciente em urgência sem ele”, garantiu o vereador.

No site da Prefeitura, o governo chamou o vereador de mentiroso e foi desmentido pelos próprios internautas

“FAKE NEWS”

Em resposta à denúncia do vereador, a secretária de Saúde Clarissa Guita publicou vídeo, de visita que fez à Upa em companhia dos vereadores Paulinho Nogueira e Dr. Raimundo Amorim, onde foram mostradas as prateleiras do posto de atendimento com o estoque abastecido. No site da Prefeitura, o governo chamou o vereador de mentiroso e foi desmentido pelos próprios internautas, que relataram casos de falta de insumos e medicamento. “Por que não fizeram o vídeo no mesmo dia da denúncia? Dois dias depois deu tempo de abastecer, para fazer esse papelão”, escreveu Allan Motta. “Se falta merenda nas escolas, imagina os insumos nos hospitais”.

“NÃO MENTI”

“Não é uma denúncia falsa. Se pegaram emprestado com um município vizinho é porque não tinha em estoque, é porque não tem o item, e vai ter que comprar para ter e para pagar, porque não tinha e estava faltando, isso é um fato”, disse. “Entendo que possa faltar um item ou outro, é prova de descontrole, mas passa. Não pode passar é a falta de um item essencial, que não pode ser substituído. Não posso deixar passar em branco é fazer o meu trabalho e passar por mentiroso. Não menti quando afirmei que não tinha esse material em estoque. O vídeo da gestão da secretaria dizendo que a notícia era falsa, e afirmando de forma leviana que eu menti, é uma grande falta de respeito. Se tem o item ele chegou depois da minha denúncia. Tenho os documentos, e tenho os relatos de pessoas que não foram atendidas na Upa pela falta das agulhas, conforme eu disse. A gente sabe da dificuldade da saúde, e da falta de alguns itens de primeira necessidade. Mas, esse item que faltava não havia no posto de atendimento, e só buscaram repor depois que eu fiz a denúncia, tanto que chegou quando o prefeito já deveria estar limpando as gavetas, se houvesse sido cassado como deveria, porque não tem competência de gestão. Não ter agulha para criança e idoso na Upa, isso é muito grave, porque é também um indício claro de que a população corre risco pela incompetência, e não podemos deixar de denunciar”.

Essa é a página da Prefeitura de Teresópolis. Setor de Comunicação já foi denunciada por que estaria sendo usado para fazer conteúdo pessoal para o prefeito

O GOVERNO ERROU

A resposta administrativa da secretaria de Saúde é legítima, tanto quanto a denúncia do vereador. Um agiu eficazmente, e o outro reagiu prontamente. E tudo ficaria de bom tamanho não fosse o hábito do governo em mentir descaradamente e desmentir mentindo ainda mais, escondendo sol com peneira, e usando a agressão para buscar a razão que não.

A verdade é que o insumo estava em falta, tanto que ele foi reposto por empréstimo e depois da denúncia feita. Então, a resposta eficiente resolve a questão e valoriza a crítica que provocou o reparo.

A resposta agressiva do governo, no entanto, piorou ainda mais o soneto, e prova disso é a reação dos internautas na postagem que a Prefeitura fez, onde diversos outros casos análogos foram relatados. No Instagram do DIÁRIO, outros 115 comentários deram conta de outros casos de falta de insumos. E, mais, quiseram saber uns: “por que buscar medicamento em ambulância, se elas são específicas para o transporte de pacientes”? E, por que não fazer os empréstimos nos hospitais da cidade, será que a Prefeitura não tem crédito”?

Edição 17/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Veja como ficam as repartições e atrativos turísticos de Teresópolis no feriado

Barra: 60 dias de trânsito lento na Rua Dr. Oliveira

Teresópolis recebeu etapa do Circuito Carioca Master de Vôlei de Praia

Quatro fontes com água imprópria para consumo em Teresópolis

Moradores da Rui Barbosa denunciam calçada em situação irregular

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE