Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

TERESÓPOLIS CONTINUA EM ESTADO DE ALERTA: Secretário alerta para nova frente fria a caminho

Coronel Albert Andrade destaca quais locais seguem em situação de vigilância e pede para que a população entre em contato em casos de intercorrências

Isla Gomes

Publicada no domingo (24) no Diário Oficial da União, a Portaria n° 990, da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, vinculada ao Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, reconheceu a situação de emergência de Teresópolis em decorrência das chuvas intensas que atingiram e ainda atingem a cidade desde o dia 22 de março. Com dois óbitos, 73 deslizamentos de terra, registrados pela Defesa Civil, 84 pessoas desabrigadas e 47 desalojadas sendo acompanhadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, o município teve a situação de emergência decretada no último sábado (23) pelo Prefeito Vinicius Claussen. Entre os motivos do decreto estão: as consequências das fortes precipitações, que ocasionaram alagamentos e deslizamentos de terras em diversos pontos do Município, acarretando em morte, danos e prejuízo. Os inúmeros estragos provocados no município em virtude do elevado índice pluviométrico que elevou de forma desproporcional os níveis dos rios e seus respectivos afluentes, além do fato de que há mais chuva e uma frente fria prevista para os próximos dias.

Equipes da Defesa Civil continuam percorrendo os bairros e fazendo vistorias técnicas nos endereços com registro de ocorrências. Servidores das secretarias de Agricultura e de Obras e Serviços Públicos atuam direto na desobstrução de acessos, remoção de árvores e retirada de terra em vias públicas, na cidade e no interior. Em entrevista ao diário, o Coronel Albert Andrade, secretário da Defesa Civil, fala sobre toda essa situação. “Ao longo de todo esse período, nós tivemos registrados desde a sexta-feira (22), 115 ocorrências até as 7h deste dia 25. O maior número de ocorrências são deslizamentos de terra, 73 ao todo, mas, em breve serão registrados mais deslizamentos”, esclarece.

Situação de alerta

O Coronel conta que o município permanece em situação de alerta, por conta dos volumes de água acumulados. “Nós estamos mantendo a situação de acerta, pois, estamos preocupados com os volumes acumulados. Temos o Parnaso com 303mm em 96h, o Meudon com 276mm em 96h, Barroso 228mm, São Pedro 172mm, Coréia 246mm e Vale da Revolta 226mm. Então todas essas regiões estão com risco iminente de deslizamento de terra. Estamos recomendando para as pessoas que moram nessas áreas e estão em locais considerados áreas de risco, que procurem casas de parentes basta procurar o desenvolvimento social, que está baseado no Pedrão. É importantíssimo seguir esses cuidados, estaremos fazendo o acolhimento dessas famílias”, explica o secretário.

Nesta segunda (25) finalmente a equipe da Defesa Civil veio, mas, dessa vez a disseram que tínhamos que sair. É uma situação delicada, estamos muito aflitos”, frisa dona Joselina, moradora do Perpétuo.
Gilberto Oliveira/O Diário

Nova frente fria

A notícia de uma nova frente fria ressalta a importância de continuar tomando todos os cuidados possíveis nas áreas de risco. “Nós recebemos a informação de previsão da entrada de uma nova frente fria nos próximos dias que vai aumentar a umidade e consequentemente vai prorrogar esse período de chuva. Neste âmbito, estamos mantendo todas as recomendações de alerta para o período dos próximos dias, até que a gente tenha mais alguma atualização. É importante que as pessoas fiquem atentas ao alerta da Defesa Civil e em qualquer sinal de rachadura ou movimentação de solo, é importante entrar em contato conosco”, salienta.

“No Perpétuo, nós estamos com essa situação na Servidão Leão 13, de uma casa que está com grande risco de desabamento. Por conta dessa situação nós vamos ter que promover a evacuação de todas as casas do entorno”, explica o Coronel Albert. Foto: Isla Gomes/O Diário

Perpétuo

No bairro do Perpétuo os moradores estão vivendo em constante aflição. Em um ponto há uma rachadura no solo causada pelas chuvas, que está colocando em risco os moradores do entorno, a Defesa Civil informou que irá realocar os cidadãos do entorno. Já em outro ponto, a questão é uma casa com risco de desabamento que está colocando em risco as demais moradias por perto. “No Perpétuo, nós estamos com essa situação na Servidão Leão 13, de uma casa que está com grande risco de desabamento. Por conta dessa situação nós vamos ter que promover a evacuação de todas as casas do entorno. Nesta segunda (25) subimos com uma equipe de engenheiros e uma equipe do desenvolvimento social, levamos uma van, para promover a retirada dessas pessoas. As que tiverem parentes por perto poderão se abrigar com familiares ou contarão com nosso apoio. Iremos solucionar essa situação, seja através da demolição assistida dessa casa ou algum trabalho de escoramento”, pontua o secretário. A dona Joselina Alves da Silva é moradora do Perpétuo e desabafa sobre a situação. “Olha, estamos desde sábado esperando uma resolução, primeiro a Defesa Civil veio aqui e disse que podíamos fica, que não tinha perigo. Mas, evidentemente fica claro que estamos em perigo, nossas casas estão todas rachando, as portas nem fecham mais. Nesta segunda eles finalmente vieram aqui de novo, mas, dessa vez disseram que tínhamos que sair. É uma situação delicada, estamos muito aflitos”, frisa.

“A recomendação na Coréia é que as pessoas que moram perto das áreas de risco procurem se abrigar com parentes ou peçam ajuda ao nosso desenvolvimento social. O solo do local está muito encharcado”, pontua o secretário. Foto: Isla Gomes/O Diário

Coréia

Os moradores da comunidade da Coréia viveram e ainda vivem dias de muita angustia e tristeza. No local ocorreram os casos mais graves e fatais em decorrência da tempestade. Uma criança de 7 anos e um adolescente de 16 morreram após um deslizamento, durante a madrugada de sábado (23). De acordo com o Coronel, os moradores do local devem permanecer em estado de alerta. “A situação da Coréia merece muita atenção, nós fizemos já a vistoria no entorno, promovemos também o redirecionamento de algumas famílias para poder retirá-las daquela área. A recomendação na Coréia é que as pessoas que moram perto das áreas de risco procurem se abrigar com parentes por enquanto. O solo na comunidade da Coréia está muito encharcado, com isso o risco de deslizamento prevalece, é importante ter precaução”, enfatiza.

Novo número da Defesa Civil

Muitos cidadãos estavam reclamando de instabilidade na linha 199 da Defesa Civil, o secretário nos conta em primeira mão que agora há um novo canal de comunicação. “Nossas equipes estão 24h por dia trabalhando, o efetivo está dobrado para dar conta de todo atendimento. Para qualquer pedido de ajuda basta ligar para o 199, mas como nos últimos dias esse número teve problemas de oscilação por conta da chuva, agora temos mais um número de canal da Defesa Civil, o 0800 202 1066”, conclui.


Edição 20/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Trilha mais antiga da Serra dos Órgãos completa 183 anos

“PREFEITO, CADÊ O DINHEIRO DA CAUSA ANIMAL?” Protetoras visitam canil e denunciam insalubridade

Feriado de São Jorge com promoção no Parc Magique do Le Canton

A festa pelo livro de Edinar Corradini

Anvisa mantém proibição ao cigarro eletrônico no país

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE