Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Guilherme Briggs fala sobre morar em Teresópolis

O artista é o mais novo morador ilustre de Teresópolis

Nina Benedito

Teresópolis é um celeiro de grandes e talentosos artistas, e que acaba de ganhar um super presente. Com 30 anos de carreira, um dos maiores dubladores do Brasil é o mais novo morador da cidade, Guilherme Briggs é ator, dublador, locutor, tradutor, desenhista, diretor de dublagem e youtuber. Sensação entre a garotada, Guilherme faz sucesso entre os amantes de séries e filmes e tem a sua voz reconhecida pelo Brasil a fora. Em entrevista ao Programa da Nina na Diário TV, o artista contou um pouco da sua história e do seu amor por Teresópolis, cidade que adotou há pouco menos de 1 ano.

Guilherme Briggs participou de entrevista com a apresentadora Nina Benedito

“Eu estou amando Teresópolis. As pessoas são muito carinhosas, me param nas lojas, eu e a minha esposa. Em todo lugar que a gente vai, eles nos respeitam, são atenciosos, é muito bom estar aqui com vocês, e agora eu sou um teresopolitano e só me tiram daqui amarrado”, comenta, empolgado.

A voz dos grandes astros de Hollywood
Teresópolis é considerada a cidade dos Nerds, sendo assim, o dublador é muito conhecido por onde passa e tem centenas de seguidores, inclusive na região serrana. Contudo, muitas pessoas só reconhecem a voz de Guilherme Briggs uma vez que o artista dubla vários atores famosos de Hollywood, entre eles Dwayne Johnson, mais conhecido como “The Rock”, Harrison Ford, o eterno Indiana Jones, Brendan Fraser, o Tarzan, Jim Carrey de O Grinch e o Conde Olaf de Desventuras em Série, Franz Oz o Mestre Yoda, e o mais conhecido de todos, Henry Cavill, o Superman e o protagonista de The Witcher, entre tantos outros atores das telas do cinema americano.

Desenhos e animações
Entre os principais desenhos estão o Mickey, o Buzz Lightyear de Toy Story, o Rei Julien de Madagascar, o Mewtwo de Pokemon, o Cosmo de Padrinhos Mágicos, o Samurai Jack, O Grinch, o Slim de Vida de Inseto, o Kronk de A Nova Onda do Imperador, o Bruce de Procurando Nemo, o Minion Stuart de Meu Malvado Favorito… e tantos outros. A lista é enorme!

O começo de tudo
“Eu comecei com o meu pai, que era uma pessoa muito criativa, muito especial na minha vida. Papai topava tudo que era de arte, desenhar, arte teatro, ele tocava violão… fazia trilha sonora. Eram vários fins de semana com papai, criando histórias, tudo com áudio, ele fazia um personagem, eu fazia outro, ele fazia o Dr. Frankstein e eu fazia a Criatura, sempre essas coisas” conta Guilherme. O pai não era ator, era diretor de marketing da Souza Cruz, e depois engenheiro, segundo o artista, ele era o homem da renascença, e o grande prazer dele era de brincar com o filho de forma criativa. “Isso criou uma união minha com o meu pai, através da arte, muito intensa e aí eu me apaixonei por interpretação, por desenhar, por atuar, por filmes, cinema, e meu pai sempre me estimulando, era um homem maravilhoso, e naturalmente eu caí para a dublagem.”

Seu maior ídolo na dublagem
Segundo o artista, seu maior ídolo foi Orlando Drumond, o antigo dublador do Scooby Doo, personagem que hoje é dublado por ele. “Meu pai dizia: ‘Um dia você vai trabalhar com ele’, e fato que acabou acontecendo” conta. O primeiro trabalho como dublador, foi em uma série chamada Hooperman em 1991, desde então, o artista vem colecionando vozes das mais diversas entre filmes, desenhos, séries novelas, animações e games.

Destaque como dublador
Sobre ser um dos melhores dubladores do Brasil, Guilherme Briggs diz que não existe um melhor, cada dublador tem o seu estilo de trabalho. “A gente tem dubladores excelentes, brilhantes, temos uma variedade imensa. O Brasil é considerado pelos americanos, nossos clientes, como excelente, a interpretação, chegaram a falar que as nossas dublagens eram melhores que as deles” enfatiza. Segundo Guilherme, a melodia do português na dublagem aproxima o telespectador, a forma como o personagem está falando, o brasileiro se identifica muito mais facilmente e mergulha mais intensamente no filme.

O mais novo morador de Teresópolis
Guilherme Briggs causou um verdadeiro frisson ao chegar em Teresópolis para morar. A relação do artista com a cidade vem de longa data, e segundo ele sempre foi um apaixonado por Teresópolis. Através de uma amiga da família, ele e sua esposa Fran Briggs passavam temporadas por aqui. “A minha mãe gosta de Teresópolis, o meu avô e o meu pai gostavam de Teresópolis, e sempre quando eu vinha pra cá, a gente tinha uma coisa meio nostálgica. A gente ama frio, e tem tudo a ver com o espírito da cidade, mais familiar, mais tranquilo. A gente ama ficar em casa, ir na Várzea passear, comer, encontrar os amigos” enfatiza.

A oportunidade da mudança do Rio para Teresópolis
Quando surgiu a dublagem remota por conta da pandemia, muitos dubladores estão fazendo estúdio em casa. “Falei para a minha esposa que era a oportunidade da gente se mudar”. O artista decide morar em Teresópolis e para isso, construiu um estúdio profissional de dublagem dentro de casa. “A minha vida é aqui, vou me aposentar, vou morrer aqui, vou ficar”, diz. E Guilherme continua: “A minha qualidade de vida aumentou vertiginosamente, e o meu trabalho como ator melhora porque eu fico mais descansado, eu não tenho que pegar ônibus, metrô pra cima e pra baixo. Aqui eu acordo, tomo o meu café da manhã e vou pro estúdio dentro da minha casa e pronto, já estou trabalhando”, finaliza.

Felicidade de estar na serra
“Eu me encontrei aqui, é genético. Eu sou muito introvertido, sou ator e tudo, mas sou um pouco tímido, e eu preciso de paz, de tranquilidade, de sossego, de frio, eu preciso de um cantinho para ser feliz. Eu não me alimento de empolgação, de muita gente, quando vocês me encontrarem, não se assustem, porque eu sou quietinho, sou muito introvertido, eu me alimento da paz, do silêncio, e eu encontrei isso aqui. O Rio de Janeiro é muita agitação, eu não estava feliz lá”, enfatiza.

Sobre os fãs
Segundo Briggs, há uma diferença entre os fãs do Rio de Janeiro e de Teresópolis. “O pessoal de Teresópolis é muito carinhoso, respeita muito, entende que as vezes eu estou num momento que eu não posso atender na hora e a pessoa fica esperando, é tão bonitinho. Já no Rio, como tudo é mais intenso, a pessoa fica mais ansiosa, mais agitada, e aqui não”

A declaração de amor por Teresópolis
“Teresópolis é a minha cidade de coração, eu não tenho vergonha, eu posto fotos da cidade, meu amor, o meu carinho pela cidade, e eu vou continuar demonstrando isso até o fim. A terra do Guilherme Briggs vai ser Teresópolis” declara. “Eu gosto de comprar as coisas daqui, eu sempre pergunto se foi feito aqui. O que estava faltando pra mim, que eu falei com a minha esposa, era o amor pelo lugar que eu moro, sentimento de pertencimento. E eu pertenço a esse lugar, esse lugar aqui sou eu, a gente vai se mesclar, no Rio de Janeiro eu não conseguia de jeito nenhum”, analisa.
A entrevista completa você pode acompanhar na programação da Diário TV e no canal do YouTube Diário TV Teresópolis.

Edição 13/07/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

BR-116: 14 radares fixos começam a funcionar no dia 22

Enel flagra 239 “gatos de luz” em Teresópolis

Trilha na Pedra da Tartaruga sofre com a ação de vândalos

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

Delmo Ferreira novo presidente da ATL

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE