Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Veículos antigos, música, gastronomia e muita diversão em Teresópolis

39ª edição do Encontro de Automóveis Antigos de Teresópolis recebe grande público e encanta pela diversidade de atrações

Marcello Medeiros

Teve início no último sábado, 12, e terminou nesta terça-feira, 15, feriado da Proclamação da República, a 39ª edição do Encontro de Automóveis Antigos de Teresópolis. Depois de três anos, o tradicional evento, o mais antigo em continuidade do país, retorna aos gramados do Teresópolis Golf Clube. Organizado pelo clube Amigos do Antigo e pelo grupo El Akbar, o encontro tem entrada franca e grande programação das 8h às 23h. Nos dois primeiros dias, grande público prestigiou e elogiou a variedade de veículos icônicos e a diversidade de atrações, permitindo que toda a família dos antigomobilistas e os visitantes possam aproveitar o dia em Teresópolis. “Graça a Deus o tempo ajudou e os gramados do Golfe estão lotados. O público veio prestigiar, muita gente do Rio, São Paulo, Espírito Santo… A Região Sudeste veio em peso. Quero agradecer aos sócios que fizeram valer esse evento que está sendo tão legal e nos permitindo receber todo esse público de braços abertos”, enfatiza Sydney Mandarino, presidente do Amigos do Antigo.
Fuscas, Kombis, Opalas, Chevettes, Landaus, Mavericks… Muitos carros que fizeram história nas ruas brasileiras brindaram o público nos gramados do TGC. Sobre o último, um ícone da Ford em nosso país, um dos mais bonitos e fotografados é de Teresópolis, um exemplar de 1974 do empresário Fábio Brasil.
“Além de um carro diferente, é um carro que tem história. Ganhei aos 15 anos, zero quilômetro, e está na família até hoje, há quase 50 anos. Hoje não é um carro original, é um carro de alta performance, está com quase 600 cavalos. Mas não é um carro de cristaleira, ele anda mesmo. Já foi premiado em Sorocaba, em Belo Horizonte…. Há duas semanas fomos para Penedo. É muito confiável e roda muito bem, melhor do que um carro novo”, relatou ao Diário.
Além dos ícones nacionais, muitos carros importados renderam milhares de registros fotográficos, como um Buick Century 1974 que veio rodando de Congonhas, Minas Gerais, a quase 400 quilômetros de distância. “Acredito que hoje no Brasil só tem uns quatro funcionando, é um carro raríssimo. É um modelo muito visto em filmes e utilizado pelos americanos como carro de polícia, pois é um carro V8 com 350 cavalos, com muita potência, espaço e conforto”, relatou ao Diário Robson dos Santos, presidente do Clube de Antigos de Congonhas, que trouxe para o encontro outros dois veículos.

A Caravan SS 78/79, restaurada em Teresópolis, guarda uma história de amizade e superação

História de amizade
Entre tantas boas histórias contadas através dos veículos, escolhemos uma que ocorreu em Teresópolis e reflete a amizade entre os antigomobilistas. Quem parou para fotografar uma Cavaran SS laranja, 78/79, não imagina todo o contexto muito além da sua restauração. “Dois anos atrás nossa oficina pegou fogo, destruiu boa parte do galpão, e perdi um Opala SS 74 que estava todo pronto, só faltava alinhar e balancear. Também perdemos quatro ou cinco carros de clientes, foi muito difícil para mim e para o Tuninho, meu sócio, ficamos se saber o que fazer. Aí os amigos mais próximos e até gente que nem conhecemos, de longe, de outro estado, se mobilizaram e começaram a nos ajudar. Hoje temos uma oficina muito melhor do que era antes, nos deram um suporte fantástico. E, não bastasse essa reconstrução, eles se cotizaram e compraram essa Caravan para me presentear. Olharam uns dois ou três carros e foram buscar essa longe, lá em Caconde, São Paulo, uma SS de plaqueta, e fizeram um churrasco para me entregar, sem que eu soubesse. Quando cheguei e vi o carro lá, desabei, chorei demais, nem sabia como agradecer”, conta André Pacheco, restaurador de veículos de Teresópolis que já montou alguns projetos espetaculares, como ficou a Caravan SS.
Seu sócio, Antônio “Tuninho”, destacou o trabalho realizado no belíssimo exemplar da GM. “Ela foi toda desmontada, pintura antiga raspada, retirados amassados e feita a contenção da ferrugem, corrosão, entrou pintura nova, foi substituído tudo que precisava ser substituído, tudo no padrão de originalidade. Somente rodas e pneus não são os originais, fora isso acabamento, configuração de cores, tudo no padrão conforme saiu de fábrica”.

Puma Espartano, utilizado em corridas nos anos 70

Puma de corrida
Logo na entrada, um VW Puma azul chamou a atenção do público. A numeração na lateral, escapamento diferenciado, capô e outros acessórios incomuns para o modelo original, indicavam que se tratava de um veículo especial. E com uma história peculiar também. Trata-se de um raríssimo Puma Espartano, preparado para corridas, e que fez muito sucesso nas pistas nos anos 70. Depois de muito tempo de esquecimento, foi recuperado pelo antigomobilista José Manuel Paiva e reconstruído. No sábado, o responsável pelo sucesso do automóvel nas corridas esteve em Teresópolis. Fernando La Rocque admirou emocionado seu antigo carro e deixou a assinatura na carroceria do VW.

Seu piloto, Fernando La Rocque, veio assinar a pintura, para a alegria do atual proprietário, José Manuel Paiva

Brinquedos e plastimodelismo
No salão do TGC, mais dois atrativos. A exposição de brinquedos de outros tempos, realizada pelo antigomobilista Marcelo Kowalski, faz brilhar os olhos de quem foi criança nos 60, 70 e 80. “Isso é um sonho de uma vida inteira, o resumo de uma infância que tive, maravilhosa, proporcionada pelos meus pais. Sou um fã incondicional de brinquedos. A energia de brinquedos é sempre positiva, não existe energia negativa em brinquedos. Isso foi feito para alegrar. Assim, tenho o maior respeito por cada peça, que tem uma história para contar… Um natal em família, um presente de aniversário, são muitas histórias”, conta Kowalski, que iniciou a coleção há 12 anos.

Exposição de brinquedos antigos, da “Kowalski Garage”, mais um destaque do encontro de Teresópolis

No mesmo salão foi realizado o primeiro concurso de plastimodelismo de Teresópolis e uma homenagem ao colecionador João Nepomuceno. “Esse espaço é dedicado ao meu pai, que faleceu este ano. Ele era um dos maiores colecionadores de plastimodelismo do Brasil, com uns quatro mil itens, e tudo isso ficava guardado em casa e as pessoas não tinham oportunidade de conhecer. Trouxemos apenas uma pequena parte desse trabalho de muitos anos, com carros, caminhões, aviões, navios… Estamos documentando de pouco em pouco para que fique para as futuras gerações”, relatou Rafael Nepomuceno.

Evento para toda a família
Além de muitos veículos, o tradicional mercado de pulgas, para o comércio de peças e estandes de miniaturas, o evento conto com espaço para as mulheres, atrativos para as crianças e outros para que toda a família possa aproveitar o dia no local. “A nossa parceira com o clube Amigos do Antigo visa pegar a exposição que é a mais antiga em realização contínua do Brasil e transformar em um evento para toda a família. O público predominantemente é masculino, mas vem de longe com toda a família, que é convidada a permanecer no evento com a gente, garantindo também todo o aquecimento turístico da cidade. Proporcionamos uma série de atividades, como shows, gastronomia, mini fusquinha para a criançada andar, espaço kids, tirolesa, um concurso de plastimodelismo, ou seja, uma série de atividades que faz com que essa exposição seja a mais familiar do Brasil”, explica o promoter Azra El Akbar.

Marcello Medeiros

Gramados do Teresópolis Golf Clube tomados pelos veículos que até hoje fazem muito sucesso

Compartilhe:

Edição 01/03/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

GCM e PM apreendem produtos de beleza e saúde vendidos em via pública

Estudantes na campanha contra o mosquito Aedes aegypti

Homem preso com maconha e cocaína em Água Quente

OABRJ e TRF2 realizam parceria para casos de regularização fundiária

Foragido da Justiça é localizado em Teresópolis

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE