Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Lamaçal deixa bairros e localidades intransitáveis após tempestade

Moradores das zonas urbana e rural atentam para precariedade de importantes estradas

Quando o atual governo foi eleito, em 2018, havia grande expectativa de mudanças, de algo realmente diferente. Afinal, um dos focos da campanha era “combater a velha política”. Mas, entrando no sexto ano da chamada “gestão”, é bem fácil perceber que pouco ou quase nada mudou ou foi feito de diferente. Um dos muitos exemplos que o “novo já nasceu velho” é a atenção dada a localidades do interior, ou mesmo na zona urbana, onde não há calçamento. Mais uma vez após uma tempestade, centenas de pessoas estão tendo dificuldade para exercer o direito constitucional de ir e vir. Nesta quarta-feira, O Diário recebeu pedido de ajuda do Santana, Parque Brejal, Boa União e Granja Florestal.

Em Santana na região de Santa Rita, no Segundo Distrito, foi feito um reparo emergencial duas semanas atrás, insuficiente para evitar que a principal estrada da localidade ficasse intransitável novamente. Foto: Leitor Repórter


Em Santana na região de Santa Rita, no Segundo Distrito, foi feito um reparo emergencial duas semanas atrás, insuficiente para evitar que a principal estrada da localidade ficasse intransitável novamente. “Hoje me deparei com essa situação desagradável meu esposo não pode me levar pra casa depois que eu saí do médico, porque tivemos máquina na rua pra consertar, mas o conserto ficou assim. Enquanto a rua não receber asfalto iremos ter sempre os mesmos problemas. Estou no quarto mês de gestação e me preocupo com o momento em que o bebê for nascer”, relatou a leitor Ana.
Ainda no Segundo Distrito, mas em outro canto do município, mais próximo da rodovia BR-116, Parque Brejal e Boa União também sofrem com a precariedade no calçamento. “As ruas estão cheias de buracos e mato ao redor das ruas de acesso estão atrapalhando a visibilidade dos motoristas. É um descaso o que a prefeitura faz com nossa região”, relatou um morador. A situação só não é pior porque, algumas semanas atrás, residentes nessas localidades se uniram para realizar capina.

Na área urbana, quem mora na Estrada da Tabatinga, na região da Granja Florestal, continua sem acesso quando chove. Foto: Leitor Repórter


Na área urbana, quem mora na Estrada da Tabatinga, na região da Granja Florestal, continua sem acesso quando chove. “Mandaram passar uma máquina, aí choveu e ficou um lamaçal. Crianças não vão poder ir às escolas, ninguém consegue passar. Tinha colocar camada bica corrida pelo menos. Salaco também passou máquina e está mesmo problema”, pontua Losenir Oliveira.
Desde as primeiras horas da manhã, equipes da secretaria de Obras e Serviços Públicos trabalham para tentar resolver problemas gerados pela tempestade de terça à noite. Porém, devido ao grande volume de ocorrências e o reduzido efetivo de tão importante pasta, é provável que a maioria das situações só seja solucionada ou pelo menos amenizada nos próximos dias. É torcer para não chover para não piorar ainda mais o caos nas zonas urbana e rural do município. Demandas dos bairros podem ser encaminhados para o “Diário Comunidade” no WhatsApp 2742-9977.

“As ruas estão cheias de buracos e mato ao redor das ruas de acesso estão atrapalhando a visibilidade dos motoristas”, alerta morador do Brejal. Foto: Leitor Repórter

Edição 20/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

OAB esclarece sobre o abuso do aumento da conta mínima comercial de água

Feriado de São Jorge com promoção no Parc Magique do Le Canton

Rodovias federais terão pontos de descanso para motoristas

Três flagrados com cocaína e maconha no Meudon

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE