Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Nova tarifa da passagem de ônibus começa a valer hoje

A partir desta quarta-feira viagens urbanas terão o custo de R$ 4,00 e mudanças no sistema de cobrança e bilhetagem estão programadas para julho

Anderson Duarte

Depois de dois anos seguidos sem aumento, o Executivo aprovou a correção do valor dos atuais R$ 3,80 para R$ 4,00. Foi publicado na última quinta-feira, 26, na edição on line do Diário Oficial da Prefeitura de Teresópolis, o decreto de autorização de reajuste da tarifa de transporte público urbano no município a partir de hoje (dia 2 de maio).  Recentemente a empresa responsável pelo serviço ingressou no Judiciário para conseguir realizar o reajuste que compensa as correções de índices inflacionários e os seguidos aumentos nos combustíveis e encargos trabalhistas. De acordo com o Ministério Público, o aumento é uma das ferramentas disponíveis para a readequação e equilíbrio financeiro das prestadoras de serviços, e o poder público deve promover tais correções. Compõe o relatório que pedia o reajuste, itens como a utilização de combustível, lubrificantes, pneus e outras peças, além do aumento previsto para a mão de obra, que tem dissídio coletivo anual entre outros gastos. Para o mês de julho está prevista a implantação global do sistema de integração, inclusive com a readequação de vias e linhas em atividade.
A mudança tarifária em Teresópolis também aproxima o valor da passagem aos municípios vizinhos de Nova Friburgo e de Petrópolis, que concederam nos últimos dois anos seus reajustes anuais e possuíam valores maiores que a nossa realidade. Em 2017, mais ou menos nesta mesma época, Friburgo concedeu reajuste de R$ 3,70 para R$ 3,95, atualmente o tarifário praticado. Na época, segundo o município, a aumento levou em consideração a inflação dos últimos doze meses e o equilíbrio financeiro resguardado e previsto pelo contrato de concessão. Em contrapartida ao aumento, a concessionária ficou obrigada a adquirir e incorporar à frota dez ônibus equipados com ar condicionado e GPS. A empresa também foi condicionada a manter a integração plena em 100% de suas linhas, além de promover o transporte gratuito de idosos com idade superior aos 60 anos. Também por lá, o elevado índice de gratuidades no transporte público, cerca de 38%, pesaria muito na chamada composição tarifária. Este ano, no mês passado, a concessionária FAOL pediu um reajuste da tarifa para R$ 4,20, ainda em apreciação pela gestão municipal.
Também no ano passado, e com o índice praticamente idêntico ao de Nova Friburgo, a tarifa de ônibus em Petrópolis sofreu reajuste de R$ 3,50 para R$ 3,90, com o diferencial de que na cidade Imperial, é oferecido desconto de R$ 0,10 nos pagamentos de passagem feitos com o cartão vale-transporte. Assim como Teresópolis, no ano passado Petrópolis não havia autorizado recomposição desde 2015. O reajuste tarifário é previsto por lei para garantir o equilíbrio econômico e financeiro do Sistema de Transporte Público de Petrópolis e dentro desta autorização consideram-se fatores que impactam nos custos de operação, como aumento do salário dos rodoviários, queda de 6% da demanda de passageiros pagantes, aumento do diesel, pneus e itens de rodagem e a previsão do reajuste dos rodoviários.

– Integração em implantação a partir de julho

A integração tem sido uma opção adicional ao sistema de transporte público, através do qual o usuário pode trocar de ônibus, sem pagar uma nova passagem, desde que se desloque em um sentido ou limite temporal. São assim duas modalidades mais comuns, a integração espacial e a integração temporal. Nesta última, a característica é a utilização pré-determinada de um período de tempo que habilita este processo, ou seja, em duas horas, por exemplo, aquela passagem teria valor. Ou a integração espacial que representa o deslocamento de um ponto A para um ponto B, através de um determinado conjunto de linhas. O objetivo da integração espacial é fazer com que as pessoas possam ir de uma região ou bairro para outra sem pagar duas passagens. Aqui em Teresópolis, a modalidade espacial foi a escolhida para atender aos clientes do transporte público.
Também é preciso lembrar que só pode fazer a integração quem usar o cartão da bilhetagem eletrônica, uma vez que quando o usuário pegar o primeiro ônibus e passar o cartão no validador ele vai debitar do mesmo o valor da tarifa e registrar no cartão a linha que está sendo utilizada, além do sentido e a hora exata. O usuário desce na parada onde pretende pegar o ônibus da outra linha e, ao entrar no segundo ônibus e passar o cartão no validador, aparecerá a integração, com a catraca sendo liberada sem ser debilitada uma nova passagem. A restrição no deslocamento das linhas por sentido é feita através de uma “matriz de integração”, de modo que não são todas as linhas que se integram entre si e que o usuário não poderá fazer percursos de “ida e volta” para a mesma região com a mesma passagem.

 

Tags

Compartilhe:

Edição 18/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Sepultado o servidor público André Luiz

Restaurante Donna Tê realiza mais uma edição do “Jantar Imperial”

Portais de Hércules, o lugar mais bonito da Serra dos Órgãos

SPVAT: entenda o que muda com o novo seguro de trânsito

PM apreende motos que eram de leilão em Bonsucesso

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE