Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Novos radares da Serra ainda não estão aplicando multas

Marcello Medeiros

Em resposta a questionamento feito pelo Diário de Teresópolis na última quarta-feira (11), a EcoRioMinas, concessionária responsável pela administração da rodovia BR-116, informou a situação dos novos aparelhos de fiscalização eletrônica instalados em diversos pontos da estrada federal, entre eles os localizados no trecho de Serra. Nos últimos dias, publicações em redes sociais deram conta que “vários motoristas já foram multados”, “que não estão perdoando ninguém” e que “várias multas já chegaram”. Porém, de acordo com a nota encaminhada para a redação do Diário, “os radares ainda estão em processo de aferição e, portanto, não estão autuando ainda. Vale lembrar que o processo de aferição e homologação dos radares é realizado junto à PRF (Polícia Rodoviária Federal) e depois enviado para a ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre”. Ainda segundo a resposta encaminhada ao jornal, não há previsão para o início da aplicação das multas, visto que atualmente está em curso o processo burocrático de aferição.
Importante lembrar que há novos radares, em locais diferentes dos que eram utilizados no período da Concessionária Rio Teresópolis, a CRT. Na Fonte Santa, agora quilômetro 82, o equipamento está posicionado mais próximo da entrada do bairro Quinta Lebrão, quase no quilômetro 83, para quem segue em sentido Minas Gerais e para quem vai sentido Baixada Fluminense o equipamento está instalado em frente ao CIEP, bem no marco do quilômetro 82. Já no trecho de Serra, manteve-se a fiscalização de velocidade no quilômetro 94, na Parada Santa ou “Santinha” como é conhecida, onde o monitoramento é só para o veículo que segue em direção à Baixada Fluminense. No Garrafão, quase no meio da Serra, a fiscalização foi mantida nos dois sentidos, justamente onde está localizado o posto de combustíveis, no quilômetro 98.

Determinação da ANTT
Os radares fixos estão sendo instalados sob determinação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), por intermédio da concessionária, e a aplicação da penalidade de multa aos motoristas que excederem os limites de velocidade será feita pela Polícia Rodoviária Federal, autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via.

Um ano de EcoRioMinas
A EcoRioMinas, responsável pelas BR-116/RJ e MG, BR-493/RJ e BR-465/RJ completou um ano à frente da concessão com 726,9 quilômetros, que liga a capital fluminense ao leste de Minas. “No trecho da BR-116-RJ, os usuários já trafegam em vias completamente recuperadas e mais seguras. Durante o primeiro ano, nossas equipes de Engenharia realizaram importantes intervenções, como as obras de contenção de encosta na Serra de Teresópolis, um trabalho de grande complexidade realizado a 84m de altura, que envolveu diversos recursos especiais e metodologia específica para garantir a segurança dos usuários. Após sete meses de obras, as intervenções tiveram como objetivo acabar com o risco de deslizamentos iminentes na região. Foram realizados limpeza e regularização do terreno, execução de contenção de solo e drenagem, entre outros serviços”, divulgou a concessionária. Durante a obra, que respeitou todas as normas ambientais pelo fato de estar localizada em área de preservação ambiental, mais de 4.600 m² de tela de aço, 192 m³ de concreto projetado e cerca de 10 mil kg de aço foram utilizados. Com a entrega, os usuários da rodovia e moradores do entorno voltaram a ter segurança na região, principalmente no período de chuvas. O pavimento da serra também recebeu atenção especial e está sendo totalmente revitalizado desde o início da concessão.
A BR-493 que abrange os trechos de Itaboraí a Magé e de Duque de Caxias a Itaguaí, também recebeu melhorias. A EcoRioMinas revitalizou o pavimento entre os km 0 e 26, recuperando todo o trecho e acabando com diversos buracos e ondulações que existiam. A sinalização horizontal da rodovia (pintura) também foi completamente restaurada e tachas refletivas foram trocadas, contribuindo com a visibilidade e segurança do trecho, principalmente no período noturno, em dias chuvosos ou com neblina. Na Magé-Manilha, a concessionária iniciou o projeto da obra de duplicação, que conforme o contrato, deverá ser entregue até o quarto ano. Serão cerca de 19,9 km de pistas duplicadas, além da implantação de sete viadutos que permitirão a entrada e saída de veículos, sem a necessidade de cruzar a rodovia, trazendo maior fluidez no tráfego. Três passarelas de pedestres e um trevo na entrada do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – COMPERJ também serão construídos.
Bases de Serviços Operacionais também foram implantadas em Teresópolis, Guapimirim, Pavuna, Japeri, Itaboraí, Duque de Caxias e Seropédica. As estruturas servem como ponto de apoio para os motoristas e são compostas por sanitários, água, entre outras comodidades. Em todo trecho sob concessão, as equipes da concessionária realizaram 37 mil atendimentos ao longo do primeiro ano de atividades.


Edição 22/06/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Justiça manda Vinícius pagar o que deve à Viação e empresa não vai cobrar a passagem dos idosos

Festival Sesc de Inverno confirma 15 atrações musicais

Golpista usa nome da Naturgy para lucrar em Teresópolis

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

MPRJ lança canal específico para receber denúncias relacionadas às eleições municipais

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE