Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Pedra da Ermitage, uma trilha para conhecer Teresópolis

Do cume, a 1.495 metros de altitude, se compreende a importância das unidades de conservação

Mochileiro – Marcello Medeiros

Apesar da atual “campanha de marketing” para que Teresópolis seja conhecida pelo título de capital do Lúpulo, outra marca, muito mais antiga e evidente, continua sendo deixada de lado. Somos a Capital Nacional do Montanhismo, um município cercado por três unidades de conservação e belezas de fazer inveja a qualquer região. Além disso, esses mesmos parques são fundamentais para garantir boa qualidade de vida da população. De alguns cumes do município é possível compreender a importância desses ambientes protegidos por lei – como da Pedra da Ermitage. A 1.495 metros de altitude se avista uma zona urbana cada vez mais ocupada, densa, pressionando os “morros” e montanhas no entorno, que muito provavelmente teriam o destino não fossem os nossos valorosos parques.

Lá de cima fica evidente a importância das unidades de conservação


Já na metade da trilha, se tem a vista mais impactante de todas: a cada vez mais habitada Teresópolis com a Serra dos Órgãos de fundo, do Escalavrado até a Pedra do Papudo, sem esquecer, “mais para a direita”, formações que estão na divisa do município com Petrópolis, como Pilatos, Tapera e Sentis. Na área densamente ocupada, mais um grande contraste. A simplicidade das residências em locais como São Pedro e os grandes prédios na região do Alto, realidades diferentes em um município que pouco valoriza o que tem de melhor em quesito de beleza cênica e conservação ambiental.
Outro ponto que chama a atenção a partir da Pedra da Ermitage é a Serra dos Cavalos, grande exemplo de que como poderiam estar as encostas da Serra dos Órgãos não fosse a criação do Parnaso, em 30 de novembro de 1939. Mesmo com grande inclinação, o “morro” tem moradias encravadas em quase todas as vertentes e, em quase todos os anos, são registrados problemas de deslizamentos de encostas e, infelizmente, vidas são perdidas.
Olhando na direção do interior, se destacam as montanhas protegidas pelo Parque Estadual dos Três Picos. Além das formações que dão nome a unidade de conservação ambiental, a Mulher de Pedra é um convite a uma boa fotografia. A Ermitage, aliás, está na área do PETP. Nesse contexto da importância desses ambientes, não se pode esquecer o Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis. A partir da trilha ou cume da Ermitage se avista a Pedra da Tartaruga, Camelo e Arrieiro, além de outras mais distantes e também protegidas pelo PNMMT.

No cume, a 1.495 metros de altitude, se avista de forma surpreendente Teresópolis.

Mais sobre a trilha
A trilha da Pedra da Ermitage é bem curta, menos de dois quilômetros do início até o topo, com 469 metros de altimetria acumulada. Porém, cerca de 40% com pontos íngremes. Seu acesso é pelo final da Rua Seis de Julho, na Quinta-Lebrão, nas proximidades do Sítio Montanhas. Aliás, também é possível chegar até ali pelo outro lado, pela localidade de Montanhas. Porém, nesse caso, a logística e orientação são mais complicadas. A referencia para o começo da caminhada é uma pequena escada, no barranco, próximo a uma casinha branca, de janelas azuis. Para saber mais sobre essa e outras atividades de montanha, e também sobre ciclismo, acesse o Instagram /mochileiro_marcello ou faça contato pelo e-mail marcello@odiariodeteresopolis.com.br

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Edição 16/08/2022
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Notícias falsas nas eleições de 2020 preocupam especialistas

Policial de férias prende acusado de tráfico na entrada da cidade

Policial civil denunciado por lavagem de dinheiro é preso no Rio

Magalu vai abrir loja em Teresópolis e inicia processo de contratação

Petrópolis x Teresópolis, a travessia mais bonita do Brasil