Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

População de Teresópolis está há três anos sem atendimento no hemonúcleo

Desde 18 de janeiro de 2021, doadores têm que se dirigir para o bairro do Alto para realizar ato solidário

Marcello Medeiros

“Começa a reforma do Hemonúcleo Municipal”. A manchete foi publicada pelo diário em 18 de janeiro de 2021, sendo informado pela prefeitura na ocasião que o importante setor da área de saúde seria reinaugurado seis meses depois, com melhor infraestrutura para atender aqueles que compreendem a importância da doação de sangue. Porém, 36 meses depois a população continua precisando se deslocar para o bairro do Alto se quiser realizar o ato solidário, de amor e respeito ao próximo. O atendimento tem sido realizado desde então no Hospital São José. Exatamente nesta sexta-feira, são três anos sem atendimento na região central do município, o que permitia que comerciantes e comerciários, além de qualquer pessoa que tivesse compromisso pela Várzea, por exemplo, pudesse fazer doação de sangue. Tanto tempo depois, o governo Vinicius Claussen continua ignorando a necessidade de esclarecer aquele que mantém sua estrutura funcionando, o contribuinte, o motivo de tanta demora para “reformar meia dúzia de salas” – como informaram ao Diário os próprios servidores da Saúde, indignados pela falta de respeito e consideração com um setor tão importante.

Dia 18 de janeiro de 2021, Prefeitura de Teresópolis anunciava inicio da obra que ia demorar poucos meses. Mais uma “Fake News” da Gestão Municipal


Na véspera da esquecível data, cobramos novamente um posicionamento da prefeitura, que mais uma vez optou pelo silêncio. Da última vez que falou sobre o assunto, a “gestão” alegou que a reforma havia sido concluída e que faltava apenas uma vistoria técnica da Vigilância Sanitária Estadual. Isso foi no final de novembro, o que leva a crer que falta muito mais do que um documento governamental para garantir que a doação possa voltar a ser realizada onde nunca deveria ter saído. A reforma da unidade para doação de sangue foi realizada com recursos de emenda parlamentar do Ministério da Saúde no valor de R$ 223.138,99, liberados e fiscalizados pela Caixa Econômica Federal.

Onde doar
Inaugurado em 2001 e com uma média de 200 doações mensais, o Hemonúcleo de Teresópolis atendia o município e as cidades vizinhas de Guapimirim, e São José do Vale do Rio Preto, auxiliando eventualmente hospitais de Nova Friburgo, Magé e até do Rio de Janeiro. Enquanto o espaço não for reaberto, a coleta de sangue segue na Unidade de Hematologia do Hospital São José (HSJ), localizado na Rua Judith Maurício de Paula, 135, no Alto. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h (exceto feriados). O telefone para informações é (21) 97142-1063.

Para doar sangue é necessário:

  • Estar bem de saúde;
  • Ter entre 16 e 69 anos e peso superior a 50 quilos;
  • Adolescentes entre 16 e 17 anos precisam de autorização dos responsáveis legais;
  • O limite de idade para a primeira doação é 60 anos; quem tem 61 anos ou mais e nunca doou está inapto;
  • Ter feito uma refeição leve, não ter consumido gordura nem ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas e não ter fumado ao menos uma hora antes;
  • Uso de medicamentos e vacinas e ter sido submetido a cirurgias podem tornar o doado inapto.

Edição 22/02/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Moradores denunciam possível foco do mosquito em casa abandonada

ÔNIBUS: Rodoviários de Teresópolis podem parar no próximo fim de semana

SindPMT vai debater contratação de 475 trabalhadores “por fora” para a Educação

Oncoginecologista do Hospital São José atenta para perigos do câncer feminino

Caixa lança edital de concurso com 3,2 mil vagas para técnicos

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE