Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

PRESSA DE RECEBER: Águas da Imperatriz assume a água de Teresópolis

Empresa vai cobrar a conta de água com 30 dias do fornecimento, ao contrário da Cedae, que cobrava com 60

Wanderley Peres

A Águas da Imperatriz concluiu nesta sexta-feira, 5, a operação assistida dos serviços de saneamento em Teresópolis. Nesta fase, que durou 30 dias, foi feita a transição entre a antiga e a nova operadora, concessionária que ficará responsável pelos serviços na cidade nos próximos 25 anos, ou até quando a Justiça decidir o imbróglio das suspeitas de favorecimento no processo de licitação, discutido em diversas ações que tramitam na Segunda Instância, todas com decisões favoráveis à empresa e ao prefeito, em primeira instância.

Problema que vai provocar impacto no orçamento familiar dos mais humildes não está sendo percebido

Pontuando o início da operação, a empresa fez tímida postagem nas redes sociais para informar que é a nova concessionária responsável pelo tratamento e distribuição de água no município, informando ainda sobre as contas em duplicidade que deverão chegar nos meses de fevereiro e março, como O DIÁRIO informou em 21 de dezembro passado, que poderia ocorrer. “Alguns clientes poderão receber duas contas de água nos meses de fevereiro e março, uma da Águas da Imperatriz e outra da antiga operadora, em razão dos ciclos de faturamento serem diferentes. No entanto, é importante esclarecer que essas faturas correspondem a períodos de consumo distintos e não configuram cobrança em duplicidade”, disse, oferecendo seus contatos para dúvidas, nos canais de relacionamento ou atendimento presencial.

Ciclo de faturamento diferente vai provocar contas de água em duplicidade nos meses de fevereiro e março

“A promessa do prefeito Vinícius na campanha pela venda da água de Teresópolis é que o serviço iria ficar mais em conta. Era mentira. Porque a conta 10% mais em conta se refere a apenas 14 mil litros de água enquanto a Cedae oferecia 15 mil, se sabe. Mas, o que ninguém se deu conta é que teríamos duas contas em fevereiro do ano que vem: a que a Cedae mediu em dezembro para receber em 60 dias e a que a Imperatriz vai medir em janeiro, para receber em 30 dias, vencendo também em fevereiro, quando a população vai ter que arranjar espaço no orçamento doméstico para arcar com as duas despesas, afinal a sede da nova concessionária em Teresópolis é maior que a da outra, e não pode esperar o mesmo tempo, de costume, não prevendo a equalização das contas em defesa do interesse do usuário do serviço”, informou O DIÁRIO em 21 de dezembro.

Desmentindo O DIÁRIO, no mês passado, o prefeito confirmou a notícia do jornal, de que haveria duas contas nos meses de fevereiro e março e insinuou o suposto ciclo diferenciado de cobrança, como também faz, agora, a concessionária. “O ciclo de cobrança da CEDAE é de 60 dias, ou seja, o consumo de dezembro/23 é cobrado em fevereiro/24. Já na nova concessionária, o ciclo de pagamento será de 30 dias. Portanto, o consumo de janeiro, já na nova operação, será cobrado em fevereiro/24. Não haverá cobrança duplicada sobre o mesmo período de consumo”, disse o prefeito em suas redes sociais, não demonstrando nenhum sinal, ou interesse, em pacificar a questão do “ciclo de faturamento” diferenciado, que a Cedae usa 60 dias e a nova operadora prefere 30 dias apenas, como ocorreu no Rio de Janeiro, dois anos atrás, quando houve grita geral da população contra a nova operadora, também do grupo Águas, por entender que estariam sendo cobrada duas vezes pelo consumo de água no mês e, ainda, porque não tinha previsão no orçamento para custear duas contas de água no mesmo mês.

“O problema que aflige o teresopolitano e vai mexer em seu bolso no mês que vem já ocorreu quando o grupo Águas do Rio assumiu os bairros atendidos pela Cedae no Rio de Janeiro, em 2021. Segundo as duas companhias, à época, as duas faturas eram válidas porque se referiam a períodos distintos, como agora aqui”, informou O DIÁRIO. “As contas se referem a períodos distintos de consumo, mas acabaram sendo emitidas com os mesmos vencimentos. Os vencimentos serão ajustados para acompanhar os intervalos de cobrança praticados pela Cedae”, informou a Águas do Rio a O GLOBO, à época, prometendo ajustar os vencimentos, retirando juros e multas, como informado pelo jornal.

É PAGAR, OU PAGAR

Sobre o vencimento da conta para meses subsequentes, a Assessoria de Comunicação da Companhia Estadual de Águas e Esgotos informou que o consumidor pode pagar até a data de vencimento que consta para o mês em questão. “A conta é referente ao período de consumo em que foi feita a leitura do hidrômetro, que consta na conta. O cliente pode verificar esse período nas datas e consumo que são informados no canto superior esquerdo da fatura”, explica o documento encaminhado ao Diário.

COBRANÇA DO ESGOTO

A Águas da Imperatriz informou à imprensa que tem como meta universalizar a distribuição de água tratada para toda a população e fornecer serviços de esgotamento sanitário para 90% da cidade, de acordo com a meta estabelecida pelo novo Marco Legal do Saneamento. A concessionária informa que planeja investir na construção de redes de esgoto, estações de tratamento, estações de bombeamento e biodigestores. Vale destacar que os ativos implementados durante o contrato serão revertidos para o município ao final do período de concessão, que é de 25 anos.
Nem a empresa que ganhou a licitação ou o prefeito que fez de tudo para vender a água, os dois não explicam, em momento algum, no entanto, quando será iniciada a cobrança por mais esse serviço, ou quando ele será, de fato, concretizado.

Edição 19/07/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Homem é preso com oito granadas em Teresópolis

Apagão cibernético afetou site e sistemas judiciais do Supremo

Golpes: média é de pelo menos quatro vítimas por dia em Teresópolis

Festival Sesc de Inverno: Teresópolis com shows de Ney Matogrosso, Mart’nália e Mumuzinho

BR-116: 14 radares fixos começam a funcionar no dia 22

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE