Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Rotativo: Prefeitura de Teresópolis arrecadou R$ 16.496 no entorno da Feirinha

Valor é referente ao primeiro fim de semana da cobrança. Ruas da Várzea e Agriões começam a receber placas

Luiz Bandeira

Neste fim de semana começou a funcionar pelo Alto o serviço de estacionamento rotativo que será implantado em diversas ruas do município. Uma empresa privada contratada pela prefeitura é responsável por organizar as vagas e instalar os parquímetros e a cobrança pelo estacionamento em vagas nas ruas da cidade teve início no entorno da Praça Higino da Silveira, onde funciona a Feirinha do Alto, como forma de adaptação ao novo sistema. O valor cobrado é de R$ 2,00 cada meia hora na denominada “Zona Turística”, portanto R$ 4 por hora. O sistema vai operar sábados, domingos, feriados e dias úteis em que funcione a Feirinha, das 8h30 às 18h30. Em nota encaminhada para nossa redação no final da tarde de ontem, foi informado que foi arrecadado, entre sexta-feira, 17, e domingo, 19, a quantia de R$ 16.496. A PMT também destacou que “não foram registrados problemas, visto que o sistema encontra-se em fase de implantação, com orientação aos usuários sobre o seu funcionamento e agentes localizados próximo aos parquímetros esclarecendo as dúvidas dos motoristas”. Agriões e Várzea são os próximos bairros onde o estacionamento será cobrado.
A operação de estacionamento rotativo na Feirinha do Alto segue nos moldes do Novo Promaj Rotativo, entretanto, os monitores que atuam no local são contratados pelo município por meio do “Vaga Certa”, visto que o Novo Promaj não inclui o trabalho dos jovens aos finais de semana e feriados. Estes atuarão na chamada “Zona Comercial”, de segunda à sábado exceto nos feriados. No caso do entorno da feirinha, um expositor por estande terá a isenção no pagamento, mediante cadastro e somente em áreas pré-determinadas. Moradores que estacionem até 100 metros da residência no período da noite até às 10h do dia seguinte não serão cobrados, mas também precisam se cadastrar. Motociclistas deverão estacionar exclusivamente em áreas previamente demarcadas e, nestes locais, não pagarão tarifa, idosos a partir de 60 anos e pessoas com deficiência, desde que estacionem seus veículos nas áreas delimitadas também estão isentos de pagamento.

Agriões e Várzea serão os próximos bairros onde o estacionamento será cobrado – Luiz Bandeira

Preparação para cobrança
A empresa contratada que já delimitou o espaço de vagas de estacionamento está agora instalando placas indicativas nas ruas do centro da cidade. Nesta segunda-feira, 20, a equipe do jornal O Diário de Teresópolis e Diário TV flagrou a instalação destas placas nas ruas Carmela Dutra e Nilza Chiapeta Fadigas, porém nenhum equipamento de cobrança automática foi instalado e ainda não se sabe quando começará a cobrança pelo estacionamento em outras áreas. Nas placas instaladas pela empresa responsável pela implantação do novo sistema, há um código QR que leva à instalação do aplicativo “Digipare – Zona Azul Digital e Rotativo Digital”, onde o usuário poderá pagar pelo serviço pelo smartphone.

População se queixa
Nas redes sociais do Diário de Teresópolis a população se manifestou reclamando, por exemplo, da falta de uma pessoa para orientar como usar o novo serviço nestes primeiros dias de funcionamento, na Praça Baltazar da Silveira. Ademir Souza disse ter presenciado turistas desorientados com o novo sistema de estacionamento. “É uma vergonha, eu fui lá, na feirinha sexta-feira, tinha muitos turistas reclamando que não conseguiu lidar com aquela maquininha e nenhuma pessoa pra orientar”, denunciou o internauta. Caique Seabra teme que a cobrança espante o turista. “O que vai acabar acontecendo é que o turista vai ser pego de surpresa… Vai acabar pagando e nunca mais voltará. Tiro no pé!”, queixa-se Caique. O temor que o turista deixe de visitar a feirinha foi manifestado também no comentário de Leandro Siqueira. “Olho grande não entra na China. O turismo é o forte da cidade e estão fazendo de tudo para afugenta-los e a população se ferrando porque não tem pra onde fugir”, reclama o morador.
Os valores arrecadados com a cobrança do estacionamento continuam sendo repassados para a Feirinha, de acordo com a Lei Complementar 292/2021, como anteriormente, para manutenção do projeto.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Edição 25/06/2022
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Notícias falsas nas eleições de 2020 preocupam especialistas

Policial de férias prende acusado de tráfico na entrada da cidade

Magalu vai abrir loja em Teresópolis e inicia processo de contratação

Câmara aprova representação contra o prefeito de Teresópolis

Veículo abandonado em via pública é incendiado