Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Saúde: Teresópolis sem local para doação de sangue

Hospital São José encerra parceria com o município. Prefeitura diz que “fará translado para outro local”, sem informar para onde

Marcello Medeiros

“Doe Sangue, Doe Vida”. A mensagem por muitos anos estampou uma grande placa na entrada do Hemonúcleo Municipal, na Várzea, reforçando a importância desse ato, lembrando que cada doação pode representar quatro vidas salvas. Mas, hoje, parece que os responsáveis pela manutenção desse setor no município não compreendem a responsabilidade de receber doadores e encaminhar o material coletado para os que precisam. O setor da secretaria municipal de Saúde está há mais de três anos fechado e, até segunda-feira, o serviço era realizado em parceria com o Hospital São José, em Teresópolis. Porém, o atendimento foi encerrado. De acordo com a assessoria de comunicação da unidade hospitalar, o HSJ não tem mais parceria com o Hemonúcleo municipal. Então, cobramos um posicionamento da “gestão” sobre como fica tão importante procedimento. Em nota, foi confirmado encerramento das atividades na Rua Judith Maurício de Paula, “mas que o serviço continua prestado”. Inicialmente, seria uma boa notícia, não fosse a continuação do textol: “Temporariamente, para realizar doações o doador deve se dirigir ao banco de sangue do HSJ, onde poderá ter maiores informações sobre o novo ponto de coleta e a Secretaria de Saúde será responsável pelo translado dos doadores”. Ou seja, quem quiser ou realmente precisar doar sangue – ou buscar pessoas que possam ajudar seus familiares – deve procurar a unidade para saber sobre outro local onde realizar o procedimento e, depois, ser levado por um carro município para esse novo ponto, que não é informado pelo governo Vinicius Claussen. Pode ser no Rio de Janeiro ou em Volta Redonda, por exemplo.

Inicialmente a previsão é que a obra seria concluída em meados de 2021, depois passaram para dezembro do mesmo ano. Três anos e dois meses depois, o espaço segue fechado e com nova promessa de reabertura. Foto: Reprodução


Além de buscar o esclarecimento sobre como realizar a doação de sangue durante todo o dia, quando informados sobre tal “novo ponto” e o absurdo “translado”, pedimos ao secretário de Governo, Vinicius Oberg, essa importantíssima informação. Porém, não obtivemos nenhuma resposta até o fechamento desta edição. Sobre quando será reaberto o Hemonúcleo Municipal, que fica no anexo do CES Várzea, a nota oficial da “gestão” diz que o espaço “já possui o alvará de funcionamento da Vigilância Sanitária Estadual e aguarda o processo de finalização de licitação para aquisição de insumos para a sua inauguração, prevista para o mês de abril”.
A reforma da unidade para doação de sangue foi realizada com recursos de emenda parlamentar do Ministério da Saúde no valor de R$ 223.138,99, liberados e fiscalizados pela Caixa Econômica Federal. Inicialmente a previsão é que a obra seria concluída em meados de 2021, depois passaram para dezembro do mesmo ano. Três anos e dois meses depois, o espaço segue fechado e com nova promessa de reabertura.

Hemonúcleo “regional”
Inaugurado em 2001 e com uma média de 200 doações mensais, o Hemonúcleo de Teresópolis atendia o município e as cidades vizinhas de Guapimirim, e São José do Vale do Rio Preto, auxiliando eventualmente hospitais de Nova Friburgo, Magé e até do Rio de Janeiro.

A importância de doar
O sangue é muito importante para os atendimentos de urgência, a realização de cirurgias de grande porte, o tratamento em pessoas com doença falciforme e talassemias, por exemplo, doenças oncológicas variadas que frequentemente necessitam de transfusão.

Quem pode doar
Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 51 quilos e estar saudável. Para quem passou por cirurgia, exame endoscópico ou adoeceu recentemente, a recomendação é consultar o site do Hemocentro para saber se está apto a doar sangue. Quem teve gripe deve aguardar 15 dias após o desaparecimento dos sintomas para poder doar sangue. Já quem teve covid-19 deve aguardar dez dias após o fim dos sintomas, desde que sem sequelas. Se assintomático, o prazo é contado da data de coleta do exame. Pacientes diagnosticados com dengue clássica devem aguardar 30 dias para se candidatar à doação de sangue. Para dengue hemorrágica, o prazo é seis meses. 

A reforma da unidade para doação de sangue foi realizada com recursos de emenda parlamentar do Ministério da Saúde no valor de R$ 223.138,99, liberados e fiscalizados pela Caixa Econômica Federal. Foto: Marcello Medeiros/Diário

Edição 20/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

OAB esclarece sobre o abuso do aumento da conta mínima comercial de água

Feriado de São Jorge com promoção no Parc Magique do Le Canton

Rodovias federais terão pontos de descanso para motoristas

Três flagrados com cocaína e maconha no Meudon

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE