Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Teresópolis: Moradores de Albuquerque sofrem com buracos, terra e lama em ruas intransitáveis

Segundo secretário, obras e terraplanagens particulares nas estradas Peru e México são causadores dos transtornos no bairro

Luiz Bandeira

Em maio passado, percebendo que um trecho da reformada RJ-130 não havia recebido a nova cobertura asfáltica e diante da insistente reclamação de moradores de Albuquerque residentes no trecho entre as estradas Angola e Equador, a equipe do jornal O Diário e Diário TV convidou o secretário de Serviços Públicos do município, Davi Serafim, para falar sobre o trabalho que seria realizado neste trecho do bairro para sanar o problema causado pela deficiência no escoamento de águas pluviais por dentro das galerias, já que as mesmas estavam obstruídas por sedimentos arrastados de construções e terraplanagens realizadas sem cuidado com a contenção da terra removida que acaba parando na rodovia. “Essa caixa onde tem uma passagem aqui por debaixo da rodovia, a Cedae fez uma parceria com a gente e nos cedeu os tubos de ferro para evitar que a manilha quebre, então a gente colocou um material resistente ali, tem uma caixa de passagem do outro lado da rodovia, aqui deste lado a gente já fez uma caixa nova, vamos dar seguimento ao manilhamento até a próxima caixa que está mais a frente”, relatou, em maio passado, Davi Serafim.

Moradores relatam que após chuva vias em Albuquerque ficam intransitáveis


A obra prometida pela prefeitura na ocasião foi realizada e o problema naquele trecho do bairro resolvido. Porém, agora uma situação semelhante, também em Albuquerque, mas entre as estradas México e Peru, onde além de não haver galeria de águas pluviais, as vias não têm calçamento, consequentemente, como no caso anterior, obras particulares têm movimentado terra dos terrenos sem o devido cuidado, tornando o caminho praticamente intransponível.
Novamente atentos às reclamações da população, nossa equipe procurou Davi Serafim para saber qual solução pode ser dada para atender os moradores de Albuquerque. “A população já vem sofrendo há muitos anos, não é de agora. A gente já tentou fazer aqui melhoras com “bica corrida” (um mix de britas de variados tamanhos), com fresa, só que é uma descida forte, a gente ainda não tem a galeria de águas pluviais, a secretaria de Obras já está com o projeto, junto com a Secretaria de Infraestrutura é uma obra grande, cara”, aponta Serafim.
Além das obras em propriedades particulares, a empresa concessionária para fornecimento de água e coleta de esgoto na cidade também trabalha movendo terra para instalação de tubulações como relatou o secretário. “A Cedae está entrando com a água aqui agora, fazendo a ligação de água nessas ruas, onde não tem jeito, acaba mexendo com a rua pra passar a tubulação, o momento atual é de chuva e ainda tem esse tipo de construção, que deixa essa terra a beira da rua, choveu vai descer lama, não tem jeito”, explica Serafim.

A PMT diz que alguns moradores realizam obras sem o devido cuidado com a movimentação de sedimentos, situação apontada como causadora dos problemas relatados

Obras contribuem
O secretário de Serviços Públicos justificou ainda que a prefeitura tem trabalhado para deixar a RJ-130 desobstruída, porém todos os sedimentos proveniente das obras vão parar na rodovia, “A gente vai lá em baixo limpa e prepara. Aí chove e no dia seguinte está tudo de novo na RJ-130. Então a gente vem trabalhando aqui, na medida do possível, o que eu não consigo fazer é o milagre de botar a rua 100% de um dia pro outro, asfalto não tem condições, vai jogar milhões de Reais aqui fora? É botar chover e vai embora, se não tiver drenagem. Então a Secretaria de Obras está trabalhando nesse projeto, junto a secretaria de Infraestrutura, que pode informar melhor como está esse andamento, pra gente entrar aqui depois. Enquanto isso a gente vai estar aqui fazendo somente o paliativo. Não adianta também eu botar a máquina aqui hoje, choveu amanhã ninguém sobe, vai estar pior do que está, mexeu com a terra choveu, piorou. Então a gente tem que esperar o tempo firmar um pouquinho pra assim dar uma melhorada”, enfatizou o secretário.
O secretário finalizou afirmando estar sensível aos problemas pelos os quais passam residentes nesta localidade. “Infelizmente os moradores estão sofrendo, a prefeitura tem dado a assistência possível aqui, com iluminação, com máquina, com fresa já há bastante tempo, a hora que esse projeto estiver pronto e a galeria de águas pluviais estiver finalizada aí creio que o prefeito vai mandar a gente entrar com o asfalto e solucionar o problema de vez”, pontuou Davi Serafim.

Compartilhe:

Edição 01/03/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

GCM e PM apreendem produtos de beleza e saúde vendidos em via pública

Estudantes na campanha contra o mosquito Aedes aegypti

Homem preso com maconha e cocaína em Água Quente

OABRJ e TRF2 realizam parceria para casos de regularização fundiária

Foragido da Justiça é localizado em Teresópolis

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE