As belezas de Teresópolis vistas da Serra dos Cavalos

Floresta do Parque Estadual dos Três Picos cortada pela Estrada Rio-Bahia

Floresta do Parque Estadual dos Três Picos cortada pela Estrada Rio-Bahia

– Destruída parcialmente por incêndio esta semana, montanha de 1.430m de altitude é um excelente mirante do município

Mais uma vez – e foram muitas nos últimos anos – a Serra dos Cavalos foi destruída parcialmente por conta de um incêndio criminoso. O fogo teve início na tarde da última quarta-feira, a partir na comunidade do Pimentel, e se estendeu até a madrugada seguinte. Graças ao combate dos homens do fogo do 16º GBM, a situação não foi pior. Essa e outras ações antrópicas têm causado danos frequentes à montanha, proporcionando danos ambientais e ampliando consideravelmente o risco de escorregamentos de terra por conta da supressão de vegetação e consequente empobrecimento do solo. Porém, mesmo vilipendiada de várias maneiras, a Serra dos Cavalos ainda é uma excelente opção para admirar Teresópolis e suas belezas de cima. Do cume, a 1.430 metros de altitude, se contempla paisagens magníficas de todo entorno, de belezas naturais a pontos turísticos criados pela mão do homem.

Existem três maneiras para se chegar ao topo, pelos bairros do Jardim Meudon, Rosário e Santa Cecília. O caminho mais fácil e procurado é pela última comunidade. A entrada da trilha fica na Rua Padre Feijó, próximo ao número 266. A referência é, curiosamente, um grande abacateiro na beira da via pública. Dali até o ponto mais alto são menos de dois quilômetros, vencidos em cerca de uma hora. O primeiro trecho é mais íngreme. Quando se chega à crista, a vista para a Serra dos Órgãos, campos da CBF e Lago Comary já é impactante.

Além do cenário de cartão postal dos principais atrativos turísticos do município, do imponente Dedo de Deus, a cada metro percorrido se compreende melhor a ocupação geográfica de Teresópolis e localização em meio a unidades de conservação ambiental. Da Serra dos Órgãos aos Três Picos, passando pelo Parque Natural Municipal, tudo é contemplado de incomum ângulo. A vista aérea para Feirinha do Alto, Clube Comary e o complexo do Caxangá são outro diferencial. Do último, é possível ver inclusive o desenho de um navio formado pelas dependências do abandonado clube.

Campos onde treinam Neymar e outros craques e o bonito lago do Comary

Campos onde treinam Neymar e outros craques e o bonito lago do Comary

Atenção na montanha

Praticar montanhismo não é como ir ao shopping. Mesmo em trilhas consideradas fáceis, como a Serra dos Cavalos, os iniciantes nesse esporte devem prestar bastante atenção, pois estarão se aventurando em ambiente natural e, consequentemente, estarão sujeitos a riscos diversos. Para evitar a possibilidade de problemas que podem gerar acidentes até fatais, alguns procedimentos devem ser tomados:

– Siga sempre pelo caminho principal, geralmente mais batido e aberto, com pelo menos marca de passagem no solo.

– Consequentemente, evite atalhos. Causam danos ao solo e vegetação e podem levar a locais perigosos, aumentando também o risco de se perder;

– Se perceber que o caminho está errado, pare e tente encontrar a trilha novamente. Evite continuar seguindo em frente se não tiver certeza onde está. Uma dica é ir observando ponto a ponto da trilha, que podem servir de referência na hora de encontrar o caminho de volta.

– Busque o máximo de informações sobre o local e/ou utilize mapas ou GPS. Para os passeios mais longos e de difícil orientação, a recomendação é buscar um guia.

– Lanterna, agasalho tipo abrigo e água devem fazer parte do kit do caminhante, mesmo para passeios mais curtos. Um pé torcido pode render horas no meio da floresta. Além disso, o tempo pode mudar bruscamente.

– Leve sempre um telefone celular carregado e avise a amigos e parentes onde está, com previsão de horário de retorno. Em caso de contratempos, eles podem fazer contato com o resgate. Atualmente, através do celular é possível enviar sua localização precisa.

 

Deixe seu comentário

Jornalista, Editor do jornal O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS, Marcello Medeiros atua na imprensa teresopolitana desde 1995. Atualmente, também assina a coluna “Mochileiro”, no próprio jornal, e apresenta programa homônimo na DIÁRIO TV.

Deixe uma resposta

Diario TV

Carregando...

Facebook

Twitter Diário TV

Assine nossa newsletter

Loading...Loading...