Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Guarda Municipal vistoria mais cinco bairros

Veículos abandonados em locais que atrapalham o trânsito serão levados para o depósito público

Marcello Medeiros

Dando continuidade à operação “Bairro Limpo”, trabalho que tem como objetivo retirar de vias públicas veículos abandonados pelos seus proprietários e que atrapalham a circulação de pedestres ou mesmo o trânsito, além de servirem como depósito de lixo e até pontos para a realização de atos ilícitos, agentes da Guarda Municipal vistoriariam mais cinco bairros. As comunidades onde aconteceram as notificações foram Coreia, Meudom, Jardim Meudom e Pimentel. Além delas, os servidores da secretaria de Segurança Pública estiveram no Rosário para verificar reclamações de veículos mal estacionados e atrapalhando a passagem de ônibus e caminhões. No caso dos que estão abandonados, foram colocados adesivos de notificação indicando o prazo de 10 dias para que o proprietário evite que seu bem seja rebocado para o Depósito Público Municipal, em Três Córregos. Além das evidentes características de depredação e falta de uso de alguns deles, com pneus vazios, muita sujeira e mato no entorno, os agentes da Guarda Municipal atenderam a solicitação de alguns moradores incomodados com o desleixo dos proprietários. A corporação pode ser deslocada para solicitações feitas através pelo WhatsApp (21) 97614-3304.
O DIÁRIO já publicou diversas reclamações sobre veículos deixados em calçadas, obstruindo parcial ou totalmente a passagem de pedestres, ou mesmo em vias públicas onde o trânsito naturalmente já é complicado, como em bairros mais populosos. Em agosto de 2017, por exemplo, mostramos que um dos muitos serviços que fica prejudicado é o de transporte coletivo. Na ocasião, conversamos representante das Viações Dedo de Deus e 1º de Março, que pontuou as localidades com maior número de registros desse problema e lembrou que, por várias vezes, comunidades ficaram várias horas sem ônibus porque um ou mais motoristas resolveram estacionar ou simplesmente abandonar seus carros em trechos de curvas ou locais que impediam totalmente a passagem dos grandes carros da empresa.
“Isso hoje para a gente é um problema muito sério, pois fazemos toda uma programação para atender os bairros de forma bem ampla e satisfatória e muitas das vezes não conseguimos nem entrar no bairro. Em alguns lugares o problema é recorrente, como na Muqui, Pimentel, Morro dos Pinheiros, onde constantemente há carros mal estacionados, em plena rua. A população, através das associações de moradores, precisa se empenhar um pouco mais. A grande maioria depende do ônibus e nessas situações o transporte individual acaba atrapalhando bastante o transporte coletivo”, destacou Jorge Martins, Gerente Operacional VDDL/1º de Março.
Esquinas, ocupando boa parte da rua, estacionamento simultâneo nos dois lados da pista em locais estreitos… São muitos exemplos de falta de preocupação com o próximo. No bairro do Pimentel, por exemplo, inclusive onde aconteceu fiscalização nesta quarta-feira, a situação frequentemente acontece na Rua Manoel Carreiro de Mello, impedindo que o coletivo chegue ao ponto final, principalmente nos finais de semana. No última parada da linha Vila Muqui, já em Paineiras, o caos frequentemente é porquê moradores de servidões próximas deixam seus automóveis em locais que impedem que o carro da VDDL consiga manobrar. Na Barra do Imbuí, a Dr. Oliveira é o motivo de reclamações constantes. Bem pertinho da Várzea, motoristas costumam deixar seus automóveis em vários pontos complicantes da Rua Capitão Edmundo Nascimento, um dos acessos do Morro dos Pinheiros.

Prejuízo para muita gente
Com a passagem obstruída, um horário em atraso acaba complicando todos os outros. Já houve casos onde a comunidade ficou o dia todo sem o transporte coletivo porque os irresponsáveis proprietários de passeio não os retiraram do caminho do ônibus. “Um exemplo mais clássico é o do Pimentel. Às vezes o bairro fica de quatro a cinco horas sem que o ônibus tenha acesso porque tem veículos na rua, ou seja, um bairro inteiro prejudicado por causa de alguém que deixou o carro de qualquer maneira na rua”, atenta Martins.
Mesmo na região central, onde pelo menos deveria haver mais fiscalização, o trânsito diariamente fica mais lento por conta da falta de educação de proprietários de automóveis. Um dos maiores exemplos é a Delfim Moreira, onde é comum encontrar carros parados no meio da pista, com o pisca-alertas acionado – como se ele abonasse o desrespeito ao Código de Trânsito Brasileiro – enquanto seus motoristas aguardam pessoas em compras em um shopping ou das muitas farmácias nesse trecho. Também existem aqueles que simplesmente deixam o veículo em local que complica o trânsito para comprar o lanche da noite em uma tradicional padaria, isso muitas vezes diante de agentes da Guarda Municipal.
De acordo com a VDDL, os locais com mais problemas em relação a veículos obstruindo a passagem dos ônibus são: Perpétuo – Rua Eça de Queiroz; Vila Muqui/Paineiras – Rua Arlindo Carreiro; Morro do Tiro – Rua Armando Vieira; Morro dos Pinheiros – Cruzamento da Rua Armando Vieira; São Pedro – Rua Ana Nery e Bairro dos Artistas; Parque do Ingá – Saída do Colégio São Paulo; Jardim Pimenteiras – “Curva do cotovelo”; Barra do Imbuí – Rua Dr. Oliveira; Agriões – Rua José Elias Zaquem; Pimentel – Rua Manoel Carreiro de Mello; Rosário – Rua José Bandeira Vianna; Taumaturgo – Rua Coronel Lisboa da Cunha. 

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Edição 18/08/2022
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Notícias falsas nas eleições de 2020 preocupam especialistas

Policial de férias prende acusado de tráfico na entrada da cidade

Policial civil denunciado por lavagem de dinheiro é preso no Rio

Magalu vai abrir loja em Teresópolis e inicia processo de contratação

Petrópolis x Teresópolis, a travessia mais bonita do Brasil