Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

MP cobra R$ 20 milhões de Tricano por dano ao erário

Ex-prefeito Arlei Rosa e seu secretário de Fazenda já respondem ação idêntica

Wanderley Peres

A 2ª Promotoria de Tutela Coletiva de Teresópolis ajuizou ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito Mário Tricano por irregularidades financeiras na TerePrev – Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Teresópolis. A ação, onde são réus também dois ex-secretários de fazenda, é similar a outra em curso contra o ex-prefeito Arlei Rosa, pela mesma improbidade, com a agravante de quadro ainda mais temerário a partir da gestão Tricano, que teria provocado dano ao erário de R$ 20.152.251,96, equivalente ao valor que aumentou, no período, a dívida do município com o fundo dos servidores.

Investigadas em dois inquéritos do MP, 026 e 080, de 2017, as irregularidades constatadas na gestão financeira do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Teresópolis – Tereprev, já percebidas desde o início da gestão Arlei, quando o fundo tinha saldo positivo deixado pelo então prefeito Jorge Mario, agravou-se, ainda mais, a partir do início de 2016, quando Tricano assumiu o governo, ampliando no período estimado déficit de R$ 20.152.254,96 (vinte milhões cento e cinquenta e dois mil duzentos e cinquenta e quatro reais e noventa e seis centavos), comprometendo, "de maneira grave, a possibilidade de manutenção do pagamento das aposentadorias e pensões dos servidores públicos municipais, em evidente prejuízo à garantia constitucional da previdência como elemento intrínseco à seguridade social no setor público", diz o MP, que apontou clara omissão do ex-prefeito e seus auxiliares da Fazenda Municipal, acarretando prejuízo estratosférico ao fundo previdenciário municipal.

Na ação, conclusa ao juiz Mauro Guita na 2ª Vara Cível de Teresópolis, o Ministério Público pede ainda a indisponibilidade de bens dos acusados em mais de R$ 20 milhões, e que Mário de Oliveira Tricano, André Luiz de Oliveira Soares e Tânia Santos de Almeida Reis sejam condenados por atos de improbidade administrativa, na forma dos artigos 10, caput e inciso  X, e 11, caput e inciso II, ambos da Lei 8.429/92, aplicando-lhes as sanções correlatas que entender cabíveis.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Edição 18/08/2022
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Notícias falsas nas eleições de 2020 preocupam especialistas

Policial de férias prende acusado de tráfico na entrada da cidade

Policial civil denunciado por lavagem de dinheiro é preso no Rio

Magalu vai abrir loja em Teresópolis e inicia processo de contratação

Petrópolis x Teresópolis, a travessia mais bonita do Brasil