Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Parque Montanhas de Teresópolis já tem 334 espécies de aves identificadas

Trabalho de observação de pássaros evidencia a importância da unidade de conservação ambiental

Marcello Medeiros

Quando se fala na criação de uma unidade de conservação ambiental, muitas pessoas não compreendem a sua verdadeira importância. Algumas pensam apenas nas áreas de lazer. Outras, no sentido contrário, até vendo esses espaços de maneira negativa e pensando no fechamento de acessos. Mas é muito mais complexo – e positivo – do que isso. Um dos grandes exemplos é o Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis. Criado em 06 de julho de 2009, ele mudou o rumo de diversas localidades que hoje poderiam estar densamente ocupadas não fossem a delimitação. E, com esse olhar diferenciado para fauna e flora nos limites do PNMMT, diversas espécies voltaram a ser vistas ou foram registradas de maneira inédita nesses quase 15 anos. Entre tantos movimentos positivos, destaca-se o das aves. Atualmente, já são 334 espécies identificadas na área da unidade de conservação ambiental, que contempla bairros como Caleme, Santa Rita, Arreiro, Iconha, Cruzeiro, Holliday, Pessegueiros e Ponte Nova, entre outros.

Sede Santa Rita do Parque Montanhas tem lago e outros atrativos para as aves e para aqueles que gostam de admira-las e fotografa-las. Foto: Marcello Medeiros


Basta acompanhar as redes sociais dos pesquisadores do Montanhas, que frequentemente divulgam impressionantes imagens da avifauna teresopolitana na região do PNMMT. No início da semana, por exemplo, o Subchefe do Parque, o Biólogo Ricardo Mello publicou uma poética imagem de um filhote de Murucututu-de-barriga-amarela (Pulsatrix koeniswaldiana) pegando uma refrescante chuva. Também conhecida como corujão-mateiro e murucututu-pequeno, essa espécie vive acima dos 1.500 metros de altitude, caça somente durante a noite, procurando por insetos grandes, aranhas, répteis, anfíbios, aves dormindo e especialmente roedores e outros mamíferos de pequeno e médio porte.
Outros bonitos registros feitos por Ricardo Mello são o de um Gavião-pato (Spizaetus melanoleucus) e de um Gavião-pombo-grande (Pseudastur polionotus). As aves de rapina de penugem branca se destacam na mata verde. Também apareceu diante das lentes do Biólogo um Pica-pau-dourado (Piculus aurulentus), entre tantos outros vistos durante os trabalhos de campo na unidade de conservação, a maior administrada por um governo municipal no estado do Rio de Janeiro.

Visitas
Com intuito de divulgar o programa de Observação de Aves, o PNMMT tem realizado mensalmente o projeto “Vem Passarinhar nas Montanhas de Teresópolis”, geralmente na sede de Santa Rita, no Segundo Distrito, onde é possível conhecer melhor a avifauna da região. A iniciativa oferece o conhecimento da biodiversidade da UC, promovendo diálogos sobre preservação e gerando o sentimento de proteção. As primeiras 300 espécies catalogadas na área do PNMMT podem ser vistas no livro AdmirAves ( https://bit.ly/admiraves-pnmmt ).

É preciso estar atento
Nem sempre é possível observar todas as espécies em um mesmo roteiro, já que os hábitos das aves são diferentes, isso inclui desde o horário da observação até o microbioma. No último evento realizado no parque, foi possível registrar as seguintes espécies: Maria Faceira, Narceja, Garibaldi, Casaco de Coro, Curutiê, Suiriri, Marreco Ananoi, Lavadeira Mascarada, Pitiguari e Arapaçú. “O nosso objetivo é trazer visitantes para conhecer um pouco da biodiversidade do parque através das aves e assim também conhecer um pouco da nossa rica Mata Atlântica”, pontua Ricardo Mello, citando ainda que têm sido realizadas parcerias com propriedades rurais da região para oferecer ainda visitação e almoço para os participantes desse projetos, que pagam os serviços diretamente aos moradores da zona rural e assim garantem um novo tipo de fonte renda na região de Santa Rita.

Veja mais no Instagram

  • Parque Montanhas @pnm.montanhasdeteresopolis
  • Ricardo Mello @img_biodiversidade
  • Vinícius Neto @vida_debiologo


Edição 20/04/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

OAB esclarece sobre o abuso do aumento da conta mínima comercial de água

Feriado de São Jorge com promoção no Parc Magique do Le Canton

Rodovias federais terão pontos de descanso para motoristas

Três flagrados com cocaína e maconha no Meudon

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE