Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Perícia vai determinar se bebê é natimorto ou morreu após nascer

Polícia busca imagens de circuito de segurança que possam auxiliar nas investigações

Luiz Bandeira

Na manhã desta terça-feira, 12, por volta das 07h, um caseiro que trabalha em uma propriedade na localidade de Montanhas encontrou uma sacola preta com um conteúdo que vazava sangue, na Estrada Vale do Roncador, próximo a um dos acessos à rodovia RJ-130. Algumas horas depois, outro trabalhador da região, teve a curiosidade de verificar o que continha no saco e encontrou o corpo de um bebê, ainda com o cordão umbilical ligado ao corpo. A Polícia Militar logo foi acionada, mobilizando uma equipe do Setor Delta, do 30º BPM, para resguardar o local onde o corpo foi encontrado. Nossa equipe esteve no local do encontro de cadáver no início da tarde.
O delegado adjunto da 110ª DP, Diego Salarine, acompanhado de sua equipe, esteve no local para acompanhar o trabalho de peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) e também para buscar imagens de câmeras de segurança de propriedades próximas de onde foi encontrado o corpo do bebê, na expectativa de que algum registro possa ajudar na investigação. Ainda não é possível determinar as circunstâncias e o momento da morte da criança, porém o delegado acredita que o bebê tenha sido expelido poucas horas antes de o corpo ser descartado na estrada, provavelmente na madrugada, porém só o trabalho da perícia vai poder determinar se o bebê é natimorto ou se morreu após nascer.
Até agora ninguém forneceu informações que pudessem colaborar com o trabalho da policia. Agentes da 110ª Delegacia de Polícia e do Setor de Inteligência da Polícia Militar (P2) continuam trabalhando para encontrar provas ou indícios que levem ao autor ou autores desse crime bárbaro. O caseiro que encontrou a sacola com o corpo prestou depoimento na tarde desta terça-feira, 12, na 110ª DP.

Bebê decapitado no lixão
No último dia 23 de fevereiro, catadores que estavam no lixão do Fischer, tentando encontrar objetos que podem ser comercializados como reciclagem, ficaram horrorizados com o que avistaram em meio às sacolas de lixo e outros resíduos: o corpo de um bebê, sem cabeça. Com aproximadamente 30 dias de vida, a criança estava em um dos caminhões de coleta da empresa que presta serviços para o município e o corpo ficou exposto depois que a sacola se rompeu, no momento que o material, coletado em vias públicas, estava sendo depositado no espaço público. Além da decapitação, o que também chamou a atenção de populares foram os machucados verificados nas partes íntimas da criança, dificultando até, inicialmente, identificar se tratava de uma menina ou menino. Após perícia no local, realizada por técnico do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), o corpo foi removido para o Instituto Médico Legal. Um dos caminhos da investigação da polícia é a rota realizada pelo caminhão da coleta de lixo, Morro dos Pinheiros, Paineiras e Barra do Imbuí. Extraoficialmente a polícia informou que continua trabalhando para encontrar envolvidos nesse crime.
Se você tem alguma informação que possa colaborar na elucidação destes dois crimes hediondos, faça a sua parte como cidadão e denuncie, sendo garantido o anonimato do denunciante. Os contatos da 110ª DP são o telefone (21) 2642-9252 ou o e-mail sesop110dp@gmail.com. Informações também podem ser passadas para a PM, nos telefones 190, 2742-7755 e 99817-7508.

Luiz Bandeira

Caseiro encontrou corpo de recém-nascido em sacola, na Estrada Vale do Roncador, em Montanhas

Edição 13/07/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Teresópolis caminha para ser um dos maiores produtores de vinho do Sudeste

Há 75 anos uma teresopolitana pisava no Dedo de Deus pela primeira vez

“Cantinho das Cerejeiras” faz sucesso em Teresópolis

Mesmo quem já pagou o IPVA deste ano terá de quitar as duas taxas do CRLV-e

Rio: Polícia prende 6 suspeitos de fraudar agências bancárias

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE