Cadastre-se gratuitamente e leia
O DIÁRIO DE TERESÓPOLIS
em seu dispositivo preferido

Santa Rita, um “cantinho” de Teresópolis que merece ser visitado

Localidade no Segundo Distrito tem muitas opções de lazer e aventura e um clima especial

Para quem busca lugares alternativos para relaxar a cabeça nos finais de semana, atrativos turísticos diferentes dos já massificados, Teresópolis ainda tem boas opções para visitação, contemplação e prática esportivas. Um desses “cantinhos” que reserva boas surpresas aos visitantes é Santa Rita, no Segundo Distrito, localidade duramente afetada pela Tragédia de 12 de Janeiro de 2011 que, mais de uma década depois, está se reerguendo principalmente graças ao turismo ecológico e de aventura. Um dos melhores exemplos é que, poucos anos após a catástrofe, o Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis começou a investir na sede da unidade de conservação nessa região, com a aquisição da antiga Fazenda Urso Branco, e, a cada dia, o local tem mais opções de lazer para os visitantes.

Um dos “cantinhos” da zona rural de Teresópolis, Santa Rita tem muitos atrativos. Foto: Acervo Mochileiro

Localizado nas proximidades da escola de Fazenda Alpina, esse núcleo da unidade de conservação ambiental trilhas curtas, para toda a família, e a do Jacu, e uma mais longa, com desnível maior até chegar ao cume da Pedra Alpina, montanha de 1.280 metros de altitude e de onde se avista de cima toda a potencialidade dessa região e até as formações mais altas da Serra dos Órgãos, sem esquecer um ângulo privilegiado daquela que é o símbolo desse parque, a Tartaruga. São aproximadamente duas horas até o cume, pela trilha da Pedra Alpina.

Alto do Santanna, onde se avista as montanhas de Santa Rita e mais longe os Três Picos. Foto: Acervo Mochileiro

Além das trilhas, na sede Santa Rita os visitantes podem desfrutar de uma pequena quadra, áreas para piquenique, um labirinto interpretativo paras crianças e alguns brinquedos construídos em madeira. O projeto de observação de pássaros é outra riqueza da unidade, que mensalmente realiza bonito evento sobre o tema. Para chegar até o local existem dois acessos. O principal, e mais fácil é via BR-116. A referência é a localidade de Holliday, pouco depois do Fischer e antes do posto da PRF em Três Córregos. Saindo da rodovia federal, há placas indicando o caminho até Santa Rita.

Com muitas trilhas e visuais espetaculares, Santa Rita é altamente recomendável para aventuras. Foto: Acervo Mochileiro

Além das montanhas
A sede do PNMMT também pode servir de base para uma boa caminhada na região. A pessoa pode deixar o carro no estacionamento do local e fazer todo o entorno da Pedra Alpina, por estradas de terra batida, indo por um lado e retornando pelo outro. Usando a montanha como base, é fácil se orientar. Esse circuito tem aproximadamente 10 quilômetros, passando por antigas propriedades rurais, uma cachoeira, plantações e pomares. Uma dica é visitar o Sítio Boa Ventura, destaque na produção orgânica.

Vista de cima, a localidade e montanhas como Caxambu e Pessegueiros, no PNMMT. Foto: Acervo Mochileiro

Aventuras em duas rodas
Para os adeptos do mountain bike, essa é uma das melhores regiões para essa prática em Teresópolis. Tanto que, diariamente, pode apostar, ciclistas são vistos atravessado Holliday, Santa Rita, Fazenda Alpina, Arrieiro, Santana… As muitas localidades conectadas por estradas de terra batida, com fortes inclinações e excelentes locais para se admirar a beleza natural dali e dos parques do entorno são bastante frequentadas. São muitos roteiros, desde saindo e retornando para a região central, com aproximadamente 40 quilômetros se o destino for “apenas” Santa Rita e Arrieiro, ou até quase dobrando essa distância se forem anexadas ao pedal visitas a Cruzeiro, Andradas e até Brejal, em Petrópolis, que pode ser acessada por Santa Rita. A região é tão bonita que é a primeira visitada na Rota Serra Verde de Cicloturismo.

Para quem curte um passeio 4×4, essa região também tem boas e bonitas estradas. Foto: Acervo Mochileiro

Subida urbana
Acima citei que existem dois caminhos para se chegar a essa região. O segundo é pela zona urbana, via bairro da Posse. Pouco depois da capela da comunidade, basta pegar a direita e atravessar a localidade de Arrieiro, descendo em seguida em direção a Santa Rita. Essa opção, porém, requer um pouco mais de atenção, principalmente em dias de chuva. A estrada de lama batida e pedras pode ser perigosa e estar intransitável dependendo do volume de chuva. Por outro lado, justamente devido a essas condições, esse caminho é o preferido dos ciclistas, motoqueiros e também dos adeptos dos veículos tracionados.
Se você gostou dessas dicas, basta acessar o site do jornal O Diário (www.netdiario.com.br) ou as redes sociais da coluna (@mochileiro_marcello). Outra dica, e que pode ser aplicada em qualquer outro local, turístico ou não, é: Não deixe nada a não ser pegadas e não leve nada a não ser boas lembranças! Até breve!

No cume da Pedra Alpina, a 1.280 metros de altitude, avistando toda a região. Foto: Acervo Mochileiro
Para quem curte pedalar, essa região oferece os melhores roteiros de Teresópolis. Foto: Acervo Mochileiro
Edição 23/05/2024
Diário TV Ao Vivo
Mais Lidas

Noventa bombeiros militares do Rio de Janeiro são condecorados pela atuação no Rio Grande do Sul

Corujão: novos horários de ônibus durante a madrugada em Teresópolis

Lula avalia vetar taxação federal de compras internacionais até US$ 50

Fiação quase no nível da rua na Dr. Aleixo, na Várzea

Centro Operacional da GCM homenageia Márcio Catão

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE